O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) é muito bem avaliado pela população do Rio de Janeiro. O transporte também é elogiado por estudiosos da mobilidade urbana e de outras áreas.

O professor Glavio Leal Paura, coordenador de cursos de pós-graduação da Universidade Positivo (UP), explica que estes veículos elétricos são evoluções do bonde. Segundo, o modal é uma ótima alternativa.

“Se a ideia é fazer as pessoas deixarem o carro em casa, faz mais sentido botar novas opções de transporte, nos locais onde o trânsito está ficando mais denso. Não basta proibir o carro, tem que dar opções de qualidade para o deslocamento. Por esta linha de raciocínio, é preciso colocar novas rotas, dar ainda mais opções”, diz Glavio Leal.

As causas ambientais são uma constante quando o assunto é transporte público. Nesse quesito, o VLT também costuma ser elogiado.

“Só de ser um meio de transporte que não polui, já é um grande avanço. Além do mais, causa poucos acidentes e é capaz de proporcionar uma qualidade de vida maior para quem trabalha e para quem usa o veículo, diferentemente do que acontece com os ônibus no Rio de Janeiro”, opina Sarah Almeida, arquiteta e ambientalista.

Especialista em história do Rio de Janeiro e presente à viagem inaugural do VLT carioca, o professor Milton Teixeira acha que o Veículo resgata para o prazer de observar o centro da cidade.

“Ele é todo envidraçado e permite ao usuário desfrutar a paisagem. E você vai poder realizar aquilo que João do Rio, que dá nome a esse trem, já propugnava há 110 anos: andar despreocupadamente pela cidade, apreciando as belezas, conhecendo os locais. Porque você só pode amar aquilo que conhece”, disse o historiador.

2 COMENTÁRIOS

  1. Só achei que faltou falar do custo. O benefício todos sabem que são bons, mas o custo é muito alto, não vale a pena no momento que a cidade se encontra hoje!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui