Na manhã deste domingo (13/09), um incêndio destruiu completamente a estação Arroio Pavuna, no corredor Transcarioca do BRT Rio. O fogo teria sido provocado por um grupo de pessoas que queimou o forro da estação para furtar a fiação. Os cabos externos de energia também foram levados pelos bandidos. A Arroio Pavuna é uma das 35 estações que estão fechadas devido a vandalismo e furtos de equipamentos. Desde abril, cerca de 100 estações foram alvo de vândalos e bandidos.

“Precisamos urgentemente do apoio intensificado das forças policiais e da Guarda Municipal para o patrulhamento das estações, que são um bem público. É um patrimônio do município que está sendo destruído pela ação desenfreada de bandidos, acarretando prejuízos diretos para a população que precisa do BRT”, afirmou o presidente executivo do BRT Rio, Luiz Martins.

Apesar disso, o BRT Rio continua investindo na recuperação de estações. Nos últimos meses o BRT Rio iniciou um cronograma de reforma e melhorias de estações. Ao todo, 18 estações já passaram por intervenções nos últimos meses. As obras incluem o fechamento do acesso ao forro e à cobertura, pintura, nova rede elétrica, reforço na iluminação e sinalização. A nova estrutura que vem sendo utilizada na revitalização impede que ambulantes e moradores de rua guardem objetos na parte superior da estação, além de proteger o cabeamento elétrico. A iluminação também é reforçada com mais refletores.

Segue a lista das estações que seguem fechadas por furtos e vandalismo, divididas por corredor:

Corredor Transoeste: Riomar, General Olímpio, Cajueiros, Vendas de Varanda, Embrapa, Dom Bosco, Recanto das Garças, Guiomar Novaes, Nova Barra, Benvindo de Novaes, Guignard, Gelson Fonseca, Golfe Olímpico e Bosque da Barra;

Corredor Transolímpica: Catedral do Recreio, Tapebuias, Outeiro Santo e Minha Praia;

Corredor Transcarioca: Praça do Bandolim, Recanto das Palmeiras, André Rocha, Pinto Teles, Vila Queiroz, Marambaia, Vila Kosmos, Praça do Carmo, Ibiapina, Rede Sarah, Santa Luzia, Guaporé, Cardoso de Moraes, Olaria, Pedro Taques, Divina Providência e Arroio Pavuna.

Além dessas, 20 do eixo da Cesário de Melo, no corredor Transoeste, e a estação Otaviano, no Transcarioca, foram desativadas em 2018 por causa de violência e destruição do patrimônio público. Ainda não há previsão de reabertura delas.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu moro praticamente ao lado, e posso dizer com certeza… bem próximo dessa estação fica um grupo de mendigos e/ou cracudos. O número tem aumentado ao ponto que tem horas, ali parece uma espécie de mini-cracolândia. Estarrecedoramente, não tem policiais, guardas ou serviço social que passe ali e faça alguma coisa, ou seja, omissão da prefeitura e do Estado que fingem não ver o problema, e o nosso dinheiro sendo jogado pelo ralo. Infelizmente, estamos jogados às traças!

  2. Um dos legados do Eduardo Paes como prefeito é isso aí: a adoção do BRT com suas “estações super seguras” e “econômicas” onde não há acidentes, superlotação, penetras e vandalismo…
    Qual o custo disso ao usuário?
    Tivesse sido mais inteligente projeto a longo prazo, de expansão do metrô

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui