Foto: Brenno Carvalho

O Governo Estadual anunciou que o Rio de Janeiro alcançou pela primeira vez, desde o início da pandemia, índice “reduzido” para contaminação da Covid-19. O nível, apresentado esta semana com base nos números divulgados pelo consórcio de veículos de imprensa que analisam as variações de casos e óbitos por coronavírus, é o menor do Sudeste e um dos menores do país. Além do Rio de Janeiro, apenas os estados do Amazonas, Pará, Amapá e Maranhão estão no mesmo nível. 

Tenho certeza que as ações feitas no início da circulação do vírus estão refletindo nos nossos números hoje. Imaginávamos um cenário visto na Espanha, Itália e China, o que não aconteceu aqui. Me solidarizo com os familiares das 14 mil vítimas. Mas está claro que as iniciativas evitaram cerca de 100 mil mortes” – afirmou o governador Wilson Witzel.

Hoje, o Estado do Rio se encontra na Bandeira Amarela, que representa risco baixo de contaminação. A atualização foi publicada na terceira edição do Mapa de Risco da Covid, divulgado pela Secretaria Extraordinária da Covid-19. Atualmente, a taxa de ocupação de leitos de Covid na rede estadual é de 20% em enfermarias e 50% em UTIs. No fim de maio, era de 79% em leitos de enfermaria e 86% em leitos de UTI.

Já a fila de espera para internações em UTIs e enfermarias destinadas à Covid também tem diminuído. Em toda a rede pública, 70 casos suspeitos ou confirmados de coronavírus aguardam transferência. Esse número já foi de mais de 1.500.

O planejamento precoce foi fundamental para esse resultado. Foram pensados leitos em unidades próprias e leitos extras nos hospitais de campanha, já que o cenário que se apresentava era caótico. Criamos mais de 1.500 leitos exclusivos para o tratamento da Covid e agora estamos no momento de estruturar o legado para a população“, explica Alex Bousquet, secretário de Estado de Saúde. 

Publicado diariamente desde o dia 17 de julho na capa do jornal “Folha de S. Paulo”, o gráfico mostrou, no dia 4 de agosto, que o Estado do RJ obteve pela primeira vez o menor índice na escala de quatro níveis. Além de “Reduzido”, a análise conta com os estágios “Desacelerado”, “Estável” e “Acelerado”.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

3 COMENTÁRIOS

  1. Muito cara de peroba esse governandor e Cia…o RJ teve um dos piores índices de mortes por habitantes pq não ficou nenhum hospital de campanha pronto que funcionasse durante o pior período…e dinheiro teve…e muito. Só não teve foi honestidade e seriedade para reverter em prol da saúde. Incompetência total…muitas mortes teriam sido evitadas se pelo menos os hospitais prometidos, pagos e não entregues estivessem funcionando no auge da pandemia…

  2. Parabéns , acessei hoje pela primeira vez e gostei muito.
    Aproveito para saber de vocês se podem ajudar em referência à uma igreja evangélica na minha rua que incomoda a vizinhança por causa do som altíssimo. Já reclamei com a prefeitura, mas desconfio que por ser uma igreja e o prefeito ser evangélico, eles não querem fazer nada a respeito.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui