Leonardo Soares e José Augusto Pereira de Carvalho

Os governos dos estados do Rio de Janeiro e de Sergipe assinaram, nesta terça-feira, 8/7, no Palácio Guanabara, um acordo de cooperação com o objetivo de promover ações para o desenvolvimento do Novo Mercado de Gás Natural no Brasil. O documento estabelece o intercâmbio de informações para subsidiar a elaboração e o aprimoramento de normas regulatórias, além de prever a criação de um grupo de trabalho para execução das atividades técnicas e a realização de um workshop que contará com a participação dos agentes econômicos dos dois estados.

O gás natural é uma das nossas prioridades, pois será o combustível da reindustrialização do Rio de Janeiro, já que somos o principal produtor nacional. E nada mais natural do que buscarmos o diálogo com os outros estados para consolidarmos a nova Lei do Gás, sancionada em abril pelo governo federal – explica o governador Cláudio Castro (PL).

O acordo foi assinado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais (Sedeerj) do Estado do Rio de Janeiro, Leonardo Soares, e pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia de Sergipe (Sedetec) do Estado de Sergipe, José Augusto Pereira de Carvalho.

Sergipe desponta como um importante produtor no futuro, podendo ser responsável por cerca de 10% da produção nacional bruta de gás. Essa aproximação, inédita no Brasil, tem importante viés estratégico, abrindo enormes oportunidades para a retomada do desenvolvimento econômico a partir do crescimento da atividade industrial no país – afirma Soares.

O representante do governo de Sergipe complementa:

Temos muito a contribuir neste novo momento do Gás Natural no país. Estamos trabalhando diuturnamente para que todas as perspectivas positivas que se descortinam em favor do nosso estado se concretizem e possamos ter, em um futuro não muito distante, um grande número de investimentos. Por isso, acredito que esta parceria com o Governo do Rio de Janeiro, que também tem grande expertise no assunto, será muito importante para a continuidade deste trabalho. Será uma troca mútua de conhecimento e aperfeiçoamento – pontua José Augusto Pereira de Carvalho.

O termo assinado pretende ainda gerar diagnósticos sobre as matrizes de transporte, avaliações de fluxos logísticos, projeções da demanda e de capacidade nas instalações portuárias e de infraestrutura de armazenagem de terminais, além de análise de custos relativos aos diversos modais de transporte e outros temas relacionados.

Esse convênio é de extrema importância para o Norte Fluminense, região que é porta de entrada de uma das principais fontes produtoras de petróleo e gás do país, a Bacia de Campos – destaca o secretário de Governo Rodrigo Bacellar.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui