Roberto Jefferson - Foto: Felipe Menezes/PTB Nacional

A Polícia Federal (PF) prendeu, na manhã desta sexta-feira (13/08), de maneira preventiva, o ex-deputado federal e presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson. Ele estava em sua casa no município de Comendador Levy Gasparian, na região do Paraíba do Sul, próximo a Três Rios, no Rio de Janeiro.

O mandado partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que também ordenou que se bloqueie as postagens de Roberto nas redes sociais e que se apreenda possíveis armas e o acesso a mídias de armazenamento.

Antes de ter suas publicações virtuais bloqueadas, o parlamentar aposentado informou a seus seguidores que a PF tentou encontrá-lo na casa de sua ex-esposa. ”A Polícia Federal foi à casa de minha ex-mulher, mãe de meus filhos, com ordem de prisão contra mim e busca e apreensão. Vamos ver de onde parte essa canalhice”, escreveu ele.

A determinação para a prisão de Roberto Jefferson integra o inquérito aberto em julho pelo STF que apura uma suposta ”milícia digital” voltada a atacar a democracia no país. Em suma, a PF investiga indícios e provas que levam à existência de uma organização criminosa que teria a finalidade de atentar contra o Estado Democrático de Direito, se dividindo nos seguintes núcleos: produção, publicação, financiamento e político, além da suspeita de que o grupo tenha recebido dinheiro público.

Quem é

Aos 68 anos, Roberto Jefferson Monteiro Francisco é natural de Petrópolis, na Região Serrana. Ele foi deputado federal pelo RJ entre 1983 e 2005. No seu último ano de mandato, inclusive, foi pivô do escândalo do mensalão, quando denunciou que a então gestão do Poder Executivo federal (governo Lula) repassava dinheiro público a deputados aliados. Atualmente, é apoiador do presidente Jair Bolsonaro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui