Sérgio Cabral e Paulo Melo

Após 3 anos de prisão preventiva, o ex-deputado estadual e ex-presidente da Alerj, Paulo Melo (MDB), teve concedido seu livramento condicional na sexta-feira, 6/8, é o que informa o Agenda do Poder. A decisão foi do juiz Marcelo Rubioli, do TJ, atendeu ao pedido da defesa, reconhecendo que o réu preenche os requisitos para a concessão do benefício.

Paulo Melo já estava em regime aberto, trabalhando durante o dia e se recolhendo ao presídio à noite. Nos últimos meses, foi-lhe permitido dormir em casa por conta da pandemia.

O ex-presidente da Alerj foi condenado em 2019 pelo TRF-2, junto de Edson Albertassi e Jorge Picciani, no âmbito da operação Cadeia Velha. A operação, um desdobramento da Lava Jato mirou um esquema de distribuição de propinas a deputados estaduais na Alerj praticada desde os anos 90. O esquema investigado tornou-se conhecido como “Caixinha da Fetranspor” pois era bancado por empresários de linhas de ônibus ligados à Federação.

Em um grupo de mensagens, nesta segunda-feira, Paulo Melo comemorou citando o trecho do samba da Imperatriz Leopoldinense: “Liberdade, Liberdade. Abre as asas sobre nós”.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui