Na quinta-feira, 19/11, Marcelo Crivella (Republicanos) falou uma das maiores sandices de sua carreira política, em live com o deputado federal Otoni di Paula (PSC), disse que PSol fez um acordo com Eduardo Paes (DEM) para assumir a secretaria de Educação e ensinar pedofilia.

O que mereceu uma resposta dura de Marcelo Freixo (PSol), uma das maiores lideranças de seu partido. Chegando a chamar Crivella de ser rastejante e dizendo que será processado:

Mas o colunista Lauro Jardim, de O Globo, trouxe um fato no mínimo curioso para quem acusa o PSol de pedofilia. Durante mais de 2 anos, o secretário de Educação de seu governo, era alguém vindo do PSol, César Benjamin, que ficou no cargo entre janeiro de 2016 e julho de 2018.  



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Em 2006, Benjamim foi candidato a vice-presidente justamente pelo PSOL, na chapa encabeçada por Heloísa Helena. E mais, ele participou da luta armada durante os governos militares e foi co-fundador do PT. Também coordenou a campanha de 1989 de Lula para presidente.

Atualmente Benjamin está afastado de ambos os partidos. E, fato interessante, durante sua gestão como secretário de Educação, Esporte e Lazer da Prefeitura do Rio, trabalhou junto com o coronel Paulo Cesar Amêndola, da secretaria de Ordem Pública, que foi quem havia realizado a prisão de César Benjamin em 1971.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui