Vivemos em um ritmo cada vez mais agitado, o que faz com que grande parte da população seja sedentária e tenha uma alimentação inadequada. Essa junção faz com que os índices de indivíduos com sobrepeso e obesidade aumentem cada vez mais.

De acordo com dados do Ministério da Saúde o número de brasileiros com obesidade aumentou 67,8% entre os anos de 2006 e 2018. Atualmente, mais da metade da população de nosso país está com excesso de peso (55,7%) e prevalência da obesidade (19,8%).

Um item alarmante do excesso de gordura corporal é que ela interfere diretamente no bem estar e na qualidade de vida das pessoas. Segundo o Educador Físico Lucas Serralheiro Cardoso, ‘estar acima do peso reduz a disposição e mobilidade, além de ser um fator de risco para outras patologias, como problemas respiratórios e nas articulações, alteração dos níveis de colesterol, hipertensão, diabetes tipo II, infertilidade, doenças cardiovasculares e até alguns tipos de cânceres’.

A obesidade é gerada devido ao acúmulo excessivo de gordura no corpo, portanto, tanto sua prevenção, como o tratamento, começam ao aderir a hábitos relacionados a mudanças no estilo de vida, como reeducação alimentar e o aumento ou inicio da prática de exercícios físicos.

‘Antes de qualquer coisa, é primordial buscar uma avaliação médica, tanto para que haja a prescrição de uma alimentação correta, como para que ao verificar os exames o Educador Físico possa avaliar quais seriam as melhores atividades a serem praticadas, em que tempo e em qual intensidade’, afirma Lucas Cardoso. O treinador, especialista em lesões e doenças musculoesqueléticas, reforça ainda que, ‘pior do que não fazer atividades físicas periódicas é a prática em excesso ou realizada de maneira incorreta, que podem acarretar vários outros danos, como o desenvolvimento de lesões nos músculos e nas articulações’.

Em relação à quais seriam os melhores tipos de exercícios para quem deseja se livrar do excesso de peso, Cardoso garante que, no geral, o ideal é um treino combinado com exercícios aeróbicos e de resistência. ‘A assertividade dos exercícios deve contribuir para a perda de gordura sem estressar o corpo ao mesmo tempo em que leva mais nutrientes e oxigênio para as células, melhorando a circulação sanguínea’.

Alguns exemplos de exercícios aeróbicos são caminhada ou esteira, bicicleta, pular corda, step, polichinelos, entre outros. De acordo com o treinador físico, esses tipos de exercícios trabalham vários grupos musculares ao mesmo tempo (abdome, pernas, braços) de forma contínua. ‘As atividades aeróbicas desenvolvem gradativamente a melhora do condicionamento físico, pois promove o aumento das frequências respiratórias e cardíacas’, declara.

Já nas atividades de resistência, como a musculação, o individuo exercita determinados grupos musculares por vez, pois o exercício é desenvolvido colocando determinada carga de resistência que exige a aplicação de força para sua execução. ‘Os exercícios resistidos são fundamentais para aumento da massa magra, que é a massa muscular, além de colaborar para redução da flacidez e o aumento da resistência do organismo’, ressalta Lucas Cardoso.

No entanto, vale ressaltar que é de extrema importância a assistência de profissionais especializados, devidamente registrados no Conselho Federal da profissão, que irão auxiliar o individuo de acordo com o caso e as metas a serem atingidas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui