Foto: Divulgação

Nos últimos dias 20 e 21 deste mês de agosto, foram publicadas, no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, 15 exonerações na Câmara Metropolitana. Entre os exonerados estavam membros do quadro técnico e diretores. Do antigo quadro técnico, restaram apenas 3 membros.

Entre as principais funções da Câmara Metropolitana estão a coordenação de funções pública do estado e dos municípios, como transporte, uso do solo, saneamento, entre outras. Trabalhos de mais de 10 anos que estavam em andamento estão parados.

Funcionários exonerados comentaram à reportagem do DIÁRIO DO RIO que é comum em trocas de governo a diretoria ser mudada, mas não o quadro técnico. Nenhum diretor foi nomeado até o momento. Nem há perspectiva de contratação de novos técnicos.

Os funcionários que eram de outras instituições e estavam atuando nas ações da Câmara Metropolitana, voltaram aos seus antigos cargos. Outros foram mandados para casa.

A Câmara Metropolitana começou sua gestão em 2007. Em 2014, um decreto colocou a Câmara ligada à Secretária de Governo – condição que se mantém. Quando Wilson Witzel assumiu como governador, o trabalho da equipe foi elogiado, por isso, também, as exonerações pegaram todos de surpresa.

Procurados pela reportagem, os responsáveis pela Câmara Metropolitana não retornaram os contatos por email e não atenderam as ligações.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui