Reprodução: Rede Social

Respeitado e admirado pelos seus pares e amado pelos seus pacientes, o dermatologista Fábio Cuiabano Barbosa, de 56 anos, morreu em decorrência da Covid-19, na manhã desta segunda-feira (8/02), no hospital CopaStar, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde estava internado desde o dia 23 de dezembro.

Formado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Cuiabano, ao contrário de muitos dos seus colegas, era um especialista dedicado à parte médica da profissão, relegando a estética a segundo plano. Ainda assim era considerado um esgrimista da estética com uma agulha de botox nas mãos.

Fábio Cuiabano era um dos dermatologistas mais destacados do Rio de Janeiro. Seu consultório, em Ipanema, recebia desde empresários bem sucedidos a celebridades de grande destaque, como a atriz Luana Piovani. Apesar do requinte, Cuiabano também prestava atendimentos solidários não somente a pessoas mais simples, mas também a amigos com dificuldades financeiras. Tudo com bom humor e muita educação.

Para o advogado e diretor da Sérgio Castro Imóveis, Cláudio Castro, a perda do médico é irreparável para a dermatologia, e também para a cidade do Rio de Janeiro. “Fabio era meu médico e mais que isso, um grande amigo. Sempre pronto a ajudar, divertido, às vezes, hilário, culto. Uma pessoa maravilhosa que fará falta a todos os seus muitos amigos”, afirmou Cláudio Castro.

Cuiabano, que também era professor na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), morreu três dias após o Dia do Dermatologista, comemorado em 5 de fevereiro.

Felipe Cuiabano, irmão gêmeo do dermatologista e advogado, também foi infectado com o novo coronavírus. Ele está internado na Casa de Saúde São José, no Humaitá, na Zona Sul do Rio. Felipe Cuiabano apresentou melhora em seu quadro clínico.

A família ainda não divulgou informações sobre o velório e o sepultamento do médio.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui