Há mais de 70 anos localizada em Cachoeiras de Macacu, na região metropolitana do Rio de Janeiro, a fábrica Arte no Chão é referência no que faz. Produzidos com uma técnica que tem mais de 150 anos, os ladrilhos hidráulicos fabricados por lá são sucesso em todo o Rio de Janeiro e em outros estados do Brasil.

O ladrilho hidráulico é um revestimento produzido artesanalmente com base de cimento. Devido à sua matéria prima, o material é considerado poroso e por isso deve ser impermeabilizado, visando proteger sua superfície. Por isso, a técnica utilizada leva água.

As peças produzidas pela Arte no Chão estão em locais como a livraria Travessa de Botafogo, museus e estarão também na sede do DIÁRIO DO RIO, um prédio do século XVIII localizado no Arco do Teles, na Praça XV, centro do Rio.

“O arquiteto Hélio Pellegrino começou a usar as peças de ladrilho em suas obras e isso criou uma tendência. Muitas das nossas produções estiveram em trabalhos do Hélio, além de outros arquitetos, claro”, destaca Sebastião Ribeiro, um dos sócios da empresa, que tem uma origem familiar. A outra sócia é Marceli de Almeida, filha de Alfredo José de Almeida, fundador da fábrica.

Atualmente são quatro funcionários especializados na fábrica. “Nosso trabalho é todo artesanal, feito com técnicas utilizadas há muito tempo, por profissionais preparados para isso”, frisa Sebastião.

A partir do início do ano que vem, a Arte no Chão passará a ter um espaço na Rua Sacadura Cabral, no Centro do Rio, onde, além de venda dos produtos, funcionará uma espécie de café para receber clientes e convidados.

Sobrado onde vai funcionar a loja/café

Entre os outros estados onde as peças são vendidas estão Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo. Produzidos com tanto cuidado, o trabalho, de fato, merece ganhar a história e o mundo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabens pela reportagem.. O trabalho deles é lindo. Recomendo uma visita à fabrica, que pode ser agendada com a Marceli de Almeida, para conhecer o mostruário e a tecnica do fabrico.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui