Fachada da Subprefeitura do Centro do Rio está caindo aos pedaços; prédio passará por reformas

Procurada pelo DIÁRIO DO RIO para comentar o assunto, a Subprefeitura do Centro informou que ''o prédio passará por reformas e a obra já foi autorizada e licitada''. Para vizinhos, "casa de ferreiro, espeto de pau".

Fachada da Subprefeitura do Centro do Rio, interditada pela Defesa Civil
Fachada da Subprefeitura do Centro do Rio, interditada pela Defesa Civil - Foto: Reprodução

O imóvel que abriga a Subprefeitura do Centro do Rio de Janeiro, localizado no número 34 da Rua da Constituição, próximo à Praça Tiradentes e ao Campo de Santana, teve sua fachada isolada pela Defesa Civil municipal, o que intrigou vizinhos e comerciantes locais, além dos passantes. Conhecida por sua rigidez no trato com os proprietários de imóveis históricos, o fato da fachada do imóvel estar cheia de rachaduras e pedaços caindo – além de uma árvore nascendo na frente do sobrado – foi considerado por vizinhos uma espécie de “anedota”.

De acordo com o relatório de vistoria o qual o DIÁRIO DO RIO teve acesso – que não prevê a interdição do prédio, vale ressaltar -, foi constatado que ”o reboco das molduras e cordões da fachada apresentam várias fissuras, necessitando, com urgência, da colocação de aparalixo e tela de proteção para garantir a passagem dos transeuntes”.

Já em relação aos guarda-corpos das sacadas do edifício, a Defesa Civil sugeriu a interdição dos mesmos ”até o início das obras programadas”.

Sacadas da Subprefeitura do Centro do Rio – Foto: Reprodução

É importante destacar também que os proprietários de imóveis históricos na região têm reclamado das burocracias e multas que recebem dos órgãos de patrimônio. Ademais, eles questionam por que os imóveis da Prefeitura e do Governo do Estado estão ”caindo aos pedaços”, em nenhum tipo de ação dos mesmos órgãos. Para o administrador de imóveis Wilton Alves, que cuida de diversos bens tombados na região, “na casa do ferreiro o espeto é de pau“.

Recentemente, bem em frente ao imóvel que sedia a Subprefeitura, constatamos que um ferro velho funciona de forma tranquila e ilegal, tendo invadido o prédio, que é de propriedade do Governo do Estado. O ferro velho, que sabidamente recepta toda sorte de mercadorias roubadas e “coletadas” pela população de rua, ganhou o apelido de ROUBERJ, conforme matéria que aqui publicamos. A situação é tão patética que o “estabelecimento” que invade o imóvel público é guardado por policiais civis.

O que diz o Município

Procurada pelo DIÁRIO DO RIO para comentar o assunto, a Subprefeitura do Centro informou que ”o prédio passará por reformas e a obra já foi autorizada e licitada”.

Além disso, segundo eles, ‘‘enquanto os reparos não começam, foi isolada preventivamente uma parte da fachada e a sede da Subprefeitura segue em funcionamento’‘.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui