Menos uma livraria no Rio de Janeiro, fechou hoje a tradicional Livraria Camões, que há mais de 40 anos ocupa o mesmo espaço no Edifício Central, na Av. Rio Branco. Era a última livraria do Rio de Janeiro dedicada à literatura portuguesa.

Mas desde 2014 a livraria estava com a direção da editora Almedina, que passou a oferecer suas edições de livros, a maioria sobre especialidades como o Direito, Ciências Sociais e Humanos, e Economia.

A Camões se junta a outras livrarias fechadas do Centro do Rio, como a Cultura, a Arlerquim e a Da Vinci. Ou seja, das 5 melhores livrarias do Centro do Rio que o DIÁRIO DO RIO tinha listado em 2016 sobraram 3, a Folha Seca, Travessa e Saraiva.

Mas não ache que os cariocas estão lendo menos, a concorrência com livrarias digitais, como a Amazon, prejudica bastante a venda de livrarias especializadas. Bem, e tem o celular, antigamente as pessoas compravam livros para passarem o tempo em suas viagens de ônibus, e agora ficam com a cara no WhatsApp, ou mesmo lendo essa matéria.

8 COMENTÁRIOS

  1. Os próximos a fecharem serão os cinemas de shoping já que, os demais já fecharam, o moderno é stream de séries via Netflix e outras mais que virão.

  2. Bolsominios não leem livros!
    Em tempo de fale news essas notícias rápidas de fontes nada confiáveis e de tuítes de psicopatas como Eduardo Bolsonaro e o irmão Carlos, além do não menos e ainda associado à milícias, o outro irmão, Flávio, todos de boa família e bem criados pelo Jair Bolsonaro, que levou a mulher para o próprio gabinete com remuneração dobrada num caso de nepotismo que hoje repete ao pretender (já está decidido segundo ele) nomear exatamente o filho para embaixador do Brasil em Washington…
    É Brasil!!!

    • Daniel, seu comentário foi perfeito! E olha que eu estava culpando o progresso através da internet, da eletrônica e da obsolescência, mas não! Foi o Bolsonaro!!! kkkkkkkkkkkk

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui