O Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, também conhecido como Feira de São Cristóvão ou Feira dos Nordestinos, celebra mais de sete décadas de história, mantendo viva a cultura dos imigrantes que chegavam ao bairro da zona norte da capital fluminense.

Neste domingo (20/09), o pedaço mais nordestino no Rio de Janeiro completa 75 anos e claro que não poderiam faltar as comemorações, que começam no domingo e devem seguir até o final do ano com lives temáticas e, claro, seguindo todas as Regras de Ouro. Pela primeira vez na história do equipamento municipal uma mulher e ex-feirante é a gestora do local, Magna Fernandes fala do seu desafio.

Sou paraibana e tenho muito orgulho. Parece que foi ontem que eu puxava lona e hoje estou como gestora. É um desafio diário, uma responsabilidade, que eu encaro de frente. Estamos no clima da reabertura e seguindo as Regras de Ouro da Prefeitura. Essa retomada e reabertura nos enche de orgulho e uma certeza: temos muito trabalho pela frente“, afirma a gestora municipal Magna Fernandes.

O pavilhão abriga cerca de 700 barracas com comida típica, ingredientes e temperos da culinária regional, artesanato e objetos do folclore nordestino.

Para mim, 75 de feira são 75 anos de luta. Altos e baixos. Ontem era tabuleiro na rua. Já puxei muita lona. E aqui no pavilhão eu criei meus filhos com muito orgulho. Aqui é a minha segunda casa. E em meio a uma pandemia, estamos fazendo o aniversário da esperança. Uma batalha diária”, afirma a feirante Maria da Guia.

O espaço fica aberto ao público na sexta das 10h às 20h, no sábado das 10h às 22h e no domingo de 10h às 20h.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui