Foto: stenholtz (pixabay.com)


Para os adeptos de dietas, esse estilo alimentar ficou muito em alta nos últimos
anos. Acredito que pela grande onda de pessoas querendo se tornar veganos
vegetarianos. Existem muitos perfis em redes sociais e alguns documentários
sobre o assunto incentivando a não exploração animal.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro


Mas na verdade, essa “DIETA BASEADA EM PLANTAS” sempre existiu para as
pessoas que se preocupam em comer de forma saudável e não focam apenas em
seguir uma dieta X, Y ou Z.

A palavra dieta vem do latim e significa estilo de vida. Porém, dieta, é entendida
pela maioria das pessoas, como alguma intervenção momentânea no padrão
alimentar, até atingir algum determinado objetivo, e que será interrompida
assim que a meta for cumprida. Por isso, que dietas para resultados a curto prazo
e específicos para alguma meta não funcionam!

Sendo assim, toda dieta deveria ser plant based, isto é, baseada em verduras,
legumes e frutas. Todas as diretrizes sobre saúde e nutrição recomendam o
consumo de maneira farta e diversificada desses alimentos na rotina diária
alimentar.

Uma dieta equilibrada deve conter vegetais variados no almoço e no jantar que
representem 50% da distribuição dos alimentos no seu prato. E um consumo de
pelo menos 2 porções ou unidades de frutas diferentes ao longo do dia.

Independente do tipo de alimentação que você decidir adotar para sua vida, se
você é onívoro (quem come produtos de origem animal), vegetariano (quem
come ovos e/ou derivados de leite) ou vegano (quem come somente produtos de
origem vegetal), a dieta baseada em plantas é a premissa para todos!

Como nutricionista, eu não sou contra nem a favor de um estilo de alimentação.
Essa decisão de comer ou não comer produtos de origem animal, deve ser
individual. Se a sua decisão for por uma alimentação vegana, saiba que sua dieta
deverá ser rica em leguminosas, grãos integrais, castanhas e sementes para
compensar a menor proporção de proteína nos alimentos de origem vegetal
quando comparado aos alimentos de origem animal. E talvez alguns suplementos
serão necessários para corrigir possíveis deficiências nutricionais. Tirando isso,
o restante das orientações de saúde e alimentação seguem as mesmas para
todos.

Meu único questionamento é: a sua saúde prospera bem com essa alimentação
que você adotou? Fuja de modismos. Siga a ciência. Siga a sua percepção do que faz bem e do que faz mal para o seu corpo e para a sua saúde. E essa resposta
somente você vai se dar.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui