Prebióticos são fibras alimentares não digeridas e não absorvidas pelo corpo que servem de alimento para os microorganismos que habitam nosso intestino. Podemos dizer que os prebióticos são a fonte de nutrição dos probióticos (bactérias do intestino).

Consumir alimentos prebióticos são importantes para manutenção da função intestinal saudável, para o sistema imunológico e para a saúde como um todo.

Esses nutrientes regulam o nosso microbioma intestinal, isto é, a população das bactérias que habitam o intestino. O intestino é colonizado por bactérias de todos os tipos, sendo algumas benéficas e outras maléficas. Quando nos alimentamos de fibras prebióticas, conseguimos aumentar a população de bactérias benéficas e reduzir a população de bactérias maléficas fazendo com que haja um equilíbrio entre esses microorganismos que regem a nossa função intestinal. 

Ao passo que, se fizermos uma alimentação inadequada, rica em açúcares, frituras, farinhas refinadas, produtos industrializados, excessos de bebida alcoólica, de carnes gordurosas, embutidos, dentre outros produtos não saudáveis, nutrimos as bactérias maléficas do intestino, permitindo que essas espécies nocivas cresçam excessivamente causando uma disbiose, que significa um desequilíbrio dessa população gerando prejuízos à nossa saúde.

Fontes alimentares mais expressivas de prebióticos são as frutas, legumes, aveia, feijões, ervilha, lentilha, grão de bico, banana, aspargos, alho, cebola, alho poró.

Já os probióticos são os próprios microorganismos vivos que habitam o intestino. São os responsáveis por manter o equilíbrio e a saúde intestinal.

Se nutrindo dos prebióticos, essas bactérias benéficas produzem substratos que interferem diretamente no organismo. São os ácidos graxos de cadeia curta, chamado butirato, que nutrem as células do cólon produzindo efeitos anti-inflamatórios e protetores contra alguns tipos de câncer.

Outro ponto importante que pode afetar negativamente a saúde intestinal é o uso de alimentos tratados com pesticidas que tem efeitos negativos sobre as bactérias intestinais. Prefira o consumo de alimentos naturais, e se possível, orgânicos.

Além disso, o uso recorrente de antibióticos, principalmente durante a infância, podem causar desequilíbrio na microbiota intestinal.

As maiores fontes de alimentos probióticos fermentados incluem o chucrute, kombucha, kefir, iogurte natural, picles e outros legumes em conserva, missô.

Existem suplementos probióticos que podem ser utilizados em situações especiais e pontuais, como no caso de uma doença inflamatória intestinal, infecção, quadro de intoxicação alimentar.

O mais importante é manter as bactérias intestinais equilibradas através da alimentação. Para isso, aumente o consumo de alimentos prebióticos e probióticos que vão promover o equilíbrio ideal entre as bactérias boas e ruins do intestino.

Saúde intestinal = Saúde do corpo!



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Fernanda Mendonça Dias

Formada pelo Centro Universitário Newton Paiva - Belo Horizonte, com Pós graduação em Nutrição Esportiva Funcional pelo VP Centro de Nutrição Funcional - Rio de Janeiro. É Nutricionista do BNDES (Nutrendo), Consultoria Nutricional do Programa de Treinamento online Treinando em casa com o Rafa @personalrafamachado, , Nutricionista do Projeto Social Avante @projetoavante_ e Nutricionista parceira do N Comidas (marmitas saudáveis e balanceadas) @n.comidas_n.comidas

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui