Outubro é o mês da conscientização sobre a importância da prevenção e do
diagnóstico precoce do câncer de mama, que atinge muitas mulheres no Brasil e
em todo o mundo todos os anos.

O Ministério da Saúde definiu saúde como um estado de completo bem-estar
físico, mental e social, e não apenas como a ausência de doença ou enfermidade.
O diagnóstico de uma doença é o último estágio de corpo debilitado, que por
tempos sinalizou algum desequilíbrio, sintomas ou dores, que muitas vezes
foram ignorados ou foram considerados normal.

Sentir dor ou desconforto NÃO É NORMAL! Precisa de uma investigação profunda de hábitos alimentares, estilo de vida, padrões emocionais, relacionamentos interpessoais, resumindo, entender o indivíduo como um todo e todas as bases que cercam sua vida. Saúde plena é quando encontramos um equilíbrio entre esses pontos e sentimos uma
potência de energia dentro de nós. Viver sem vitalidade é sobreviver.

Na medicina moderna muito tem se falado sobre a Epigenética, a ciência que
estuda a modulação genética, ou seja, a maneira como ativamos ou silenciamos a
expressão de genes que causam determinadas doenças. A descoberta é que
grande parte das doenças estão relacionadas ao estilo de vida e ao padrão
alimentar, e nós temos a capacidade de evitar o aparecimento delas, mesmo
apresentando um potencial genético favorável, com mudanças alimentares e
melhorias no seu estilo de vida. Pense: você pode influenciar diretamente sua
saúde. Isso não é o máximo!? Suas decisões definem sua qualidade vida. É o que
eu chamo de autonomia e liberdade!

Com base na alimentação, temos o poder de escolher o tipo de alimento que
colocamos pra dentro do nosso corpo. Aqueles com propriedades nutritivas,
anti-inflamatórias, antioxidantes, como por exemplo: frutas, vegetais, sementes,
castanhas, grãos integrais, ovos, carnes magras, azeite, abacate, coco. Ou aqueles
alimentos com potencial inflamatório, carcinogênico, oxidante, como por
exemplo: carnes gordas e processadas, embutidos, óleos vegetais refinados,
frituras, açúcar e doces em geral, refrigerantes e bebidas adoçadas, produtos
industrializados. Hoje em dia com tanta informação sobre alimentação saudável,
não é difícil saber o que comer, e sim, decidir qual categoria escolher. Existem
infinitas opções de ambos os lados. A escolha é sua.

Minhas dicas para facilitar a sua decisão: Vá mais à feiras livres, compre alimentos frescos e da estação. Procure se alimentar de comida de verdade, evite os industrializados. Invista em gorduras saudáveis para o preparo dos alimentos.

Sempre que possível, se aventure na cozinha e prepare a sua própria refeição.

Substitua o doce por fruta.

Se alimente de verduras e legumes diariamente.

Coma alimentos mais saudáveis e se satisfaça com pequenas quantidades.

Se hidrate com água e não com bebida calórica e adoçadas artificialmente.

Seguindo essas orientações nutricionais, com certeza sua saúde vai melhorar. Porém, por mais que a gente pratique um estilo de vida saudável, não temos 100% de garantia de que alguma enfermidade possa surgir, porque existem outros fatores associados para o aparecimento das doenças. O câncer de mama pode ser silencioso e assintomático, por isso, a importância da auto observação e da prevenção. 

Com esta visão preventiva sobre o que é saúde, estamos falando em autocuidado. O que vem na sua mente quando falamos essa palavra? Autocuidado vai além de uma alimentação balanceada e exercícios diários. Autocuidado é amor próprio. É a gente aprender a se amar e saber se valorizar. Se cuida!



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui