Foto: Reprodução Internet

Aproveitando a semana da Páscoa em que só se fala em chocolate, preciso te dizer que existem chocolates e chocolates. Isso mesmo, chocolate está longe de ser tudo igual! Antes de dizer sobre o chocolate e suas infinitas variações, precisamos falar sobre a base do produto que é o cacau.

O cacau é um alimento poderoso, rico em antioxidantes e outras propriedades nutricionais. Ele auxilia a função cognitiva, melhorando a concentração e o foco, age na melhora do humor, possui efeito calmante e relaxante, modula o estresse, controla a pressão arterial, tem ação vasodilatadora, controla a glicemia e a insulina. Além disso, é um alimento prebiótico, isto é, nutre as bactérias do intestino melhorando a microbiota intestinal.

Do fruto do cacau, temos a polpa, que podemos fazer um suco delicioso, e da amêndoa do cacau é de onde se extraí o cacau em pó, nibs de cacau e a manteiga de cacau.

Um chocolate considerado de boa qualidade precisa ter um alto teor de cacau, 70% ou mais de sua concentração. Baixo teor de açúcar. Nada de gordura hidrogenada, apenas a pura manteiga de cacau. Isento de aromatizantes artificiais.
Esta é a definição de um chocolate de verdade.

Um doce cheio de açúcar, leite e outros derivados, gordura hidrogenada, emulsificantes, aromatizantes e quase nada de cacau, não pode ser classificado como chocolate. Esse tipo de doce, é o que a indústria te vende com o nome de chocolate ao leite e chocolate branco.

Quanto menor o teor de cacau de um chocolate, pior a classificação deste produto. Terá menos propriedades nutricionais provenientes do cacau, e proporcionalmente um maior teor de açúcar na sua composição. O cacau produz bem estar. O açúcar causa euforia e vício.

Muitas pessoas se consideram viciadas em chocolate. Na verdade, elas não são viciadas em chocolate, e sim, dependentes de açúcar. Quanto mais açúcar e gordura ruim, maior a dependência.

Outro ponto importante é avaliar de onde vem esse cacau, a qualidade da matéria prima do chocolate. Após a colheita, o cacau passa por um processo de fermentação, secagem, torra e moagem, semelhante ao café. Se essa matéria prima for de baixa qualidade, ele será extremamente torrado ficando com o sabor muito amargo. Ao passo que, um cacau de boa qualidade é menos torrado e mais suave ao paladar

Para degustar um chocolate amargo com prazer e suavidade ao paladar, escolha uma marca que garanta a qualidade da sua matéria prima, quanto mais amargo, isto é, com maior teor de cacau e menor teor de açúcar, oferecendo ao seu corpo não só o prazer de um alimento delicioso, mas também todos os benefícios maravilhosos do cacau. Este sim, é um chocolate de boa qualidade, que vale a pena fazer parte da sua dieta, podendo comer sem culpa e evitando malefícios à sua saúde.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Fernanda Mendonça Dias

Formada pelo Centro Universitário Newton Paiva - Belo Horizonte, com Pós graduação em Nutrição Esportiva Funcional pelo VP Centro de Nutrição Funcional - Rio de Janeiro. É Nutricionista do BNDES (Nutrendo), Consultoria Nutricional do Programa de Treinamento online Treinando em casa com o Rafa @personalrafamachado, , Nutricionista do Projeto Social Avante @projetoavante_ e Nutricionista parceira do N Comidas (marmitas saudáveis e balanceadas) @n.comidas_n.comidas

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui