Ferramenta de inteligência de mercado mapeia consumo de bebidas no Rio de Janeiro

O mapeamento mostra ainda os cinco bairros com maior consumo de bebida alcoólica no Rio de Janeiro

A alta da cerveja no segundo semestre de 2021 foi influenciada, principalmente, por conta da inflação mais elevada, que, acumulada nos 12 meses, ultrapassou os 10%. Os preços estão subindo e, é de se supor, que reajustes serão comuns daqui para frente. Na cesta dos produtos, as bebidas, especialmente as alcoólicas, pesam no bolso do brasileiro. Não somente do consumidor final, mas dos intermediários, tais como bares, restaurantes e botecos sentirão o impacto dessas elevações de preço.

Segundo dados da Abrasel, 37% dos bares e restaurantes do Brasil ainda operam no prejuízo, o que limita, de uma certa maneira, esses estabelecimentos a amortecerem um aumento no preço para o consumidor, fazendo com que a alta chegue mais rapidamente nos bolsos dos cariocas.

A região Sudeste concentra a maior renda média do Brasil, com estados que mais fazem girar a economia e apresentam maior desempenho no PIB do país. A pedido desta colunista, a ferramenta Economapas, especializado em geomarketing, fez um levantamento sobre o consumo de bebidas alcoólicas fora de casa no estado do Rio de Janeiro. Segundo eles, o consumo alcança R$ 5,28 por cada morador carioca.

Bebidas: 5 bairros com maior consumo

O mapeamento mostra ainda os cinco bairros com maior consumo: Campo Grande, Centro, Tijuca, Barra da Tijuca e Copacabana. Sendo que o fluxo de passantes intensifica a comercialização de bebidas em Campo Grande e na região central do Rio. Ambos os locais possuem mais de 800 mil pessoas transitando diariamente, sendo no bairro da Zona Oeste, mais de um milhão por dia. Isso ajuda no comércio local e fomenta, ainda mais, a abertura de bares e restaurantes nessas regiões.

Conhecida por ser uma cidade boêmia, o Rio de Janeiro tem uma média de R$ 7,90 de gasto com cervejas e chopes dentro do domicílio pela população maior de 18 anos. Um valor mais alto do que o gasto fora de casa, o que explica a crise e o momento de insegurança que vivemos, além de justificar o aumento de aplicativos de bebidas e delivery.

Renata Granchi é jornalista e publicitária com mestrado em psicologia. Passou pela TV Manchete, TV Globo, Record TV, TV Escola e Jornal do Brasil. Escreveu dois livros didáticos e atualmente é diretora do Diário do Rio. Em paralelo, presta consultoria em comunicação e marketing para empresas do trade.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui