Fila por leito de Covid-19 passa de dois dias no Rio; mais de 200 pessoas aguardam vagas em todo estado

Crescimento desenfreado de casos tem impactado nos atendimentos da rede pública de saúde

Foto: Reprodução

O aumento de casos de Covid-19 na cidade do Rio já provoca uma sobrecarga na rede de saúde pública da cidade. Segundo informações contidas no painel Covid-19 da prefeitura do Rio, e divulgadas pelo jornal O Globo, em média, é preciso esperar 57 horas, mais de dois dias para ser transferido a um leito de tratamento da doença. Em alguns casos, o paciente pode ficar quase 100 horas.

Segundo o painel, há 66 pessoas nas emergências públicas aguardando um leito na capital. Desse total, 32 estão em Centros Regionais de Emergência (CER), sendo oito na Barra da Tijuca, sete no Leblon, seis em Campo Grande, seis no Centro e outas cinco pessoas na unidade da Ilha do Governador. A cidade do Rio tem nesta segunda-feira (24/01) 927 pessoas hospitalizadas em função de terem contraído a Covid-19.

De acordo com a secretaria municipal de Saúde do Rio, o município já transformou 230 leitos no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, referência no tratamento da doença, para o atendimento de pacientes com Covid-19 nas últimas semanas. Hoje foram abertas mais 78 vagas nos hospitais Albert Schweitzer e Pedro II, os dois na Zona Oeste. Até o fim desta semana, a expectativa é de que outros 400 leitos sejam abertos no Rio, sendo 150 no Hospital Clementino Fraga, administrado pela UFRJ, e outros 250 no Hospital Geral de Bonsucesso.

No estado, há nesta segunda-feira 211 pessoas aguardando uma vaga para tratar a Covid-19 na rede pública. Sendo 100 pessoas na espera por um leito de UTI e outras 111 por uma vaga de enfermaria.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui