Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (01/06), a Fiocruz e o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) assinaram o contrato de Transferência de Tecnologia da vacina contra a Covid-19 com a AstraZeneca para a produção 100% nacional do imunizante. O contrato formaliza a transferência do conhecimento que já vem sendo repassado para agilizar a produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) nas instalações de Bio-Manguinhos/Fiocruz.

Segundo a fundação, a produção do IFA em Bio-Manguinhos/Fiocruz começa em junho, com expectativa das primeiras doses 100% nacionais serem entregues em outubro. As instalações terão a capacidade de produção de insumos para cerca de 15 milhões de doses da vacina por mês.

A instituição segue em formalização contratual para a aquisição adicional de IFA importado para processamento final de outros 50 milhões de doses. Este adicional garantiria as entregas do segundo semestre, em conjunto com a produção nacional.

O Instituto já realizou as adaptações da planta fabril e a aquisição dos equipamentos necessários à incorporação da tecnologia de produção do IFA no Centro Henrique Penna (CHP), parte do Complexo Tecnológico de Vacinas (CTV) no campus da Fiocruz em Manguinhos, no Rio de Janeiro. Foram utilizados recursos de doações privadas.

Além disso, as instalações já receberam as Condições Técnico-Operacionais (CTO), concedidas pelas Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) e o certificado de Boas Práticas de Fabricação (cBPF) para a produção do IFA. Desta forma, Bio-Manguinhos/Fiocruz está apto a iniciar a produção. No momento, a instituição segue com as etapas preliminares de treinamento da equipe técnica e elaboração da documentação técnica relacionada aos processos produtivos do IFA nacional.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui