Foto: Reprodução/Internet

Empresários ligados à Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), temem que depois da pandemia da pandemia da Covid-19, a crise energética e a escassez de insumos passam prejudicar o andamento dos negócios no estado. Isso porque, com os reservatórios de água das hidrelétricas em níveis historicamente baixos, tem crescido a preocupação de uma crise energética para o ano que vem.

De acordo com o presidente do Conselho Empresarial de Assuntos Tributários da Firjan, Marcelo Kaiuca, apesar do otimismo com o fim da pandemia, o momento ainda requer muita cautela.

“Quanto mais as pessoas estão se imunizando, mais a economia está andando, uma vez que a população volta a sair de casa e a gastar”, disse ele em entrevista publicada na revista Carta à Indústria, mantida pela Firjan.

Além do fato da crise energética, Kaiuca também ressalta que a escassez de insumos pode ser um problema pós Covid-19. Por estes motivos, o momento ainda inspira cautela por parte dos empresários.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui