Foto: Michel Jesus

A ex-deputada federal Flordelis (PSD-RJ) entrou com um pedido de habeas corpus para se manter solta, após a cassação do seu mandato, aprovado na última quarta-feira (11/08) pela Câmara dos Deputados por quebra de decoro. A parlamentar é acusada de ser mandante da morte do seu marido, opastor Anderson do Carmo.

O pedido de prisão de Flordelis foi realizado logo após a cassação do seu mandato pela Câmara. O processo criminal ainda não foi julgado, no entanto, os deputados consideraram que a atuação da parlamentar ao longo do caso feriu o Código de Ética da Câmara. Eram necessários, o mínimo de 257 votos favoráveis à cassação para a perda do mandato, tendo a cassação sido aprovada por 437 votos.

Em pronunciamento no plenário após a cassação, a deputada disse que saía de cabeça erguida e voltou a afirmar sua inocência. De acordo com a defesa de Flordelis, a ex-deputada não deve ser presa por Flordelis ter 60 anos e ser considerada idosa, pela pandemia da Covid-19, pelo fato da mesma ter atendido às convocações da Justiça e por ter comparecido a todos os atos processuais.

A defesa de Flordelis também afirma que em 2016, ela teve uma isquemia cerebral e realiza atendimento médico e psiquiátrico para tratamento até hoje. Por este motivo, os advogados da ex-deputada pedem que ela receba acompanhamento psiquiátrico.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui