O Governo do Estado criou, nesta quarta-feira (01/09), uma força-tarefa, formada por representantes das secretarias de Transportes, de Polícia Civil, de Polícia Militar e da Casa Civil, para coibir a atuação de grupos criminosos na malha ferroviária fluminense. O objetivo é evitar ações de vandalismo, como furtos de cabos e equipamentos nas estações da SuperVia. A partir da noite de hoje, haverá policiamento ostensivo nas estações de trem e seus entornos. Ao todo, 200 policiais militares vão atuar no reforço da segurança.

Representantes da Secretaria de Transportes e técnicos da SuperVia realizaram, nesta quarta-feira, uma vistoria no ramal Japeri. Com o levantamento, a secretaria planeja a melhoria da infraestrutura ferroviária, como o reparo e a construção de muros e passarelas.

O efetivo triplicado da Polícia Militar vai patrulhar os 270 quilômetros da malha ferroviária do estado e ruas do entorno e locais próximos a recicladoras e ferros-velhos para combater a compra e venda de materiais furtados. Haverá, ainda, patrulhamento aéreo, com o uso de infravermelho durante a noite.

O trabalho de investigação da Secretaria de Polícia Civil será intensificado. Há dois meses, foi deflagrada a operação ‘Caminho do Cobre’, que mapeia todo o processo entre a compra e venda dos materiais roubados. Ao todo, a ação cumpriu cinco mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. Cinco empresas de reciclagem foram interditadas, oito pessoas foram presas em flagrante e 20 conduzidas à Delegacia de Roubos e Furtos para esclarecimentos. Os agentes também apreenderam toneladas de cabos de telefonia e de internet, trilhos de trem e outros materiais da SuperVia, baterias estacionárias, placas e R$ 200 mil em dinheiro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui