Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

Na próxima sexta-feira (27/08), ocorre a segunda edição do Fórum de Soluções do Porto Maravilha. O evento, que terá ampla cobertura do DIÁRIO DO RIO, visa trazer à mesa temas relevantes para o desenvolvimento socioeconômico em torno da região. Realizado de forma presencial no salão principal do Novotel do Porto, o encontro contará com a presença de representantes de várias empresas, como a Riostar, Stx, Cusham & Wakefield, Colliers, Icatu, Fabrica de startup, Bhering, Cbre, Jll, Sergio Castro, Tegra, entre outras. Vale citar que o Fórum cumprirá todos os protocolos de segurança, como distanciamento social e o uso de máscara.

Presença confirmada no evento, o presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) Gustavo Guerrante afirmou que a expectativa para o Fórum é a melhor possível e que o encontro acontece em um momento muito oportuno para o Porto Maravilha.

O primeiro semestre trouxe de volta à região o olhar de investidores e, em intervalo de pouco mais de um mês, anunciamos os dois primeiros empreendimentos residenciais da Operação Urbana. Isso mostra que o Porto não fracassou, como alguns gostam de dizer por aí. Muito pelo contrário. Foi um sucesso, e ainda há muito o que acontecer aqui. O mercado já entendeu que o Porto é o local para se morar e investir no Rio de Janeiro. E é essencial essa ação do setor privado ao reunir grandes nomes do mercado e o poder público para pensar caminhos e ações para a região portuária“, disse.

Guerrante citou ainda que a discussão passa pela atração de moradias; a consolidação da área como polo cultural e de eventos; fomento à economia criativa; infraestrutura; além de debater o desenvolvimento econômico e social. Segundo ele, assuntos fundamentais para a a ocupação do Porto Maravilha.

É muito importante ouvir as soluções propostas pelos investidores para alavancar a região. E que caminhem juntos – público e privado. A maior Operação Urbana do Brasil não foi pensada como uma intervenção apenas do setor público. A participação do privado vem desde o início do projeto até os empreendimentos que temos hoje com taxa de vacância de dar inveja em outros bairros do Rio. São os empreendimentos, tanto coorporativos quanto agora os residenciais, que vão dar o ar de bairro ao Porto Maravilha com vida 24h“, completou.

Além disso, Guerrante finalizou falando sobre as propostas que o encontro deve criar: “como todos os envolvidos no Fórum são grandes entusiastas do Porto devemos sair de lá com um conjunto de propostas que consolidem o Porto Maravilha como foco de inovação na cidade, palco de grandes eventos e lar de sedes de grandes empresas e de cariocas que escolhem morar em uma região com olhar cuidadoso do Poder Público“.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui