Marcelo Freixo - Foto: Taís Vilela/ UOL

Essa semana o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou a liberação de vistos para americanos, canadenses, australianos e japoneses. Ação que, como disse, é excelente para o turismo do Rio de Janeiro, que pode trazer muitos benefícios para a cidade e para os cariocas, como falei aqui.

Mas parece que Marcelo Freixo (PSol) prefere jogar contra. O deputado anunciou na manhã desta quarta-feira, 20/03, que deu entrada com um projeto na Câmara para anular a medida. Afinal, a liberação iria contra o princípio da reciprocidade, ao não ter contrapartida, que o Brasil estaria sendo submisso e bajulador. Sinal que a doença ideológica atingiu o cérebro do parlamentar.

De acordo com o site especializado Rota Rio, Freixo vai na contramão do que pensam as lideranças das principais entidades do turismo no Rio e no Brasil. O presidente da Federação dos Conventions Bureaux do RJ, Marco Navega, disse ao Rota Rio que a atitude do deputado e do PSOL representam um atraso no fomento da atividade turística do país.

Pesquisa da Organização Mundial do Turismo (OMT) mostra que políticas de facilitação de vistos proporcionaram um aumento no número de chegadas de turistas nos países onde ocorreram as mudanças, em até 25 % ao ano”, argumentou.

O presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, também é favorável à medida do Governo Federal.

Se o Brasil quer gerar mais empregos, a aumentar a renda e desenvolver o Turismo, precisa adotar um conjunto de medidas, entre elas, liberar a exigência de visto a países como EUA, Canadá e Japão”, disse ao Rota.

Ouça os podcasts do Diário do Rio

Ao ser contra a isenção de vistos para estes 4 países, Marcelo Freixo está jogando contra o Rio. Triste situação para quem quis e talvez ainda queira ser prefeito do Rio de Janeiro.

16 COMENTÁRIOS

  1. […] Podem criticar o governo Bolsonaro, mas não podemos negar que a ação dele de terminar com o fim da reciprocidade dos vistos em março foi ótima, e ela já vem dando resultados é o que mostra uma pesquisa do Amadeus Groups, uma das 10 maiores companhias do mundo no setor de turismo. O fim dos visto foram para cidadãos do Canadá, EUA, Austrália e Japão, sem necessidade que estes países fizessem o mesmo para o Brasil, o que gerou com que Freixo quisesse anular esta lei no Congresso. […]

  2. Ele deveria ter cobrado reciprocidade da Venezuela, Cuba e todas as outras ditaduras que receberam obras milionárias e financiamento do BNDS, essa resistência está cada vez mais alienada

  3. Gente, que editorial alineada com o PSL é esta do diário do rio, que pena!!! Reciprocidade sim, ou é justo alguém de BH ter que vir ao Rio para pegar um visto para viajar para os EUA e eles podem já fazer isso online sem precisar nem se deslocar? E o custo que é tirar um visto para lá? E o custo ridículo que é eles pegarem visto para vir para o Brasil? Me poupe, qualidade de vida se melhora com saúde e educação, turismo é ótimo mas primeiro tem que ter o básico.

  4. O RIO NÃO É UM ÚNICO ESTADO DO BRASIL E ANTES DE PENSAR NO “turismo ” PENSEMOS QUE SE FOSSE AO CONTRÁRIO, NENHUM DOS PAÍSES BENEFICIADOS NÃO ACEITARIAM SE SUBMETER A TAL ACORDO./
    ” RECIPROCIDADE, SIM! UNILATERALISMO, NÃO./ “

  5. Com autorização de visto ou sem autorização, nada vai impedir de receber uma pessoa boa ou má, acredito que nossa lei penal tem que ser mais pesada, sendo para todos e investigar sempre quem entra e para o que vem fazer no país.

  6. Canso ver povo de direita dizer “respeita a constituiçao”…vcs ja leram a CF ? A CF diz que devemos seguir o principio da RECIPROCIDADE…Se um pais obriga o brasileiro a pedir visto, o Brasil DEVE pedir visto desse pais para RESPEITAR a constituiçao…

  7. Vcs estão de brincadeira? isenção unilateral d vistos ?a quem serve, pessoas que não tem condições de vir ao Rio de forma honesta e com dinheiro!oq vcs querem a volta do paraíso do turismo sexual?o rio sendo denovo o nome do paraíso dos bandidos importados?pedófilos,traficantes, terroristas!cara menos, muito menos por favor!

  8. Depois consegue a façanha de perder para o Crivella e não entende muito bem o que houve…
    Já perdi a boa vontade com ele à medida em que o irreitor da UFRJ apoiado por ele fez das suas. Além do apoio do partido ao Maduro. Isso leva a crer que na gestão o PSOL não dá uma dentro…
    Mas a parte todo esse negócio, acho que a esquerda está metendo os pés pelas mãos nessa. O caso a observar é que eles nos impõe as restrições por conta de alguns riscos detectados (até tenho dúvida da eficiência dessa política por parte desses países), em particular o de aproveitar a estadia para migrar ilegalmente. Ou seja, eles preferem provocar alguns inconvenientes em potenciais turistas e até perder alguns desde o erro na negação até às desistências por conta das próprias inconveniências do processo por entenderem que isso é um mal menor do que os riscos associados à não exigência de visto. No caso do Brasil, a aplicação da inconveniência se limita a provocar a inconveniência em si, sem resultados práticos para a segurança do Brasil. Ou seja: não há problema a ser evitado nem problema a ser resolvido. É apenas para empatar. A reciprocidade diplomática não é uma obrigação de se praticar em todos os casos. É apenas um princípio diplomático. O único argumento válido é o do orgulho nacional. Mas a realidade se impõe mais do que o modo em que o país se representa ou faz suas exigências. Qualidade de vida que é algo mais concreto se faz com aumento do PIB que o turismo pode trazer.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui