Furto de cabos (Foto: Reprodução Internet)

Um furto de cabos da rede de câmeras que fazem o monitoramento das ruas da cidade do Rio deixou cerca de 50 equipamentos de vigilância desativados, a maioria na Zona Sul do Rio, em bairros como Lagoa, Jardim Botânico, Humaitá, Botafogo, Flamengo, Catete e Glória. Segundo o Centro de Operações Rio, a informação foi passada pelo consórcio que gera as imagens dos equipamentos da prefeitura. Em nota, o COR alerta que a operação da prefeitura está limitada. Segundo Alexandre Cardeman, chefe-executivo do COR, o roubo de cabos afeta também túneis e semáforos da cidade.

A Polícia Civil informou que, em caso de furto de cabos, a concessionária ou as instituições lesadas devem registrar o caso em uma delegacia.

A Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) tem feito regularmente ações fiscalizatórias em ferros-velhos para reprimir a receptação de fios e cabos roubados nas ruas. Todos os casos também podem ser registrados em delegacias distritais das regiões onde ocorrem os crimes, que investigam de forma sistemática os autores e receptadores desse material“, diz a nota.

Técnicos estão fazendo o reparo, mas o COR enfatiza que o furto já aconteceu antes: “a situação não é nova“. O órgão pede o apoio das forças de segurança para evitar que ocorram novos furtos.

Leia a íntegra da nota:

“O Centro de Operações Rio informa que diversos cabos da rede de câmeras da prefeitura foram furtados na tarde desta terça-feira, dia 24 de novembro.

A informação foi comunicada ao COR e à CET-Rio pelo consórcio que gera as imagens das câmeras da prefeitura. Além das câmeras de monitoramento de trânsito, alguns semáforos também foram afetados. Por esse motivo, a operação da prefeitura fica limitada. Os técnicos estão trabalhando para realizar o reparo o quanto antes, mas a situação não é nova.

Ressaltamos a necessidade do apoio das forças de segurança para evitar que novos furtos aconteçam.”

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui