Imagem apenas ilustrativa | Foto: Reprodução

Esconder o celular em algumas situações que aparentam perigo de ser roubado ou furtado é uma constante na vida do carioca. Embora ainda seja um problema, há uma queda, de acordo com Instituto de Segurança Pública (ISP), no número de roubos e furtos de aparelhos celulares na cidade do Rio.

A diminuição, em comparação com o ano anterior (2019), é de 36,4% nos casos registrados. Em relação aos roubos, a queda foi de 38,5%.  

Desde 2012, os números de casos de roubos de celulares vinham aumentando. Essa tendência foi interrompida em 2020, quando os índices sofreram uma grande queda.

Frequência de roubos de celulares desde 2003. Fonte: Instituto de Segurança Pública. Elaboração: Instituto RIO21

Em relação aos furtos, considerando todo o ano de 2020, foram registrados 7903 casos na capital do estado do Rio de Janeiro. Esse número é o menor da série histórica desde 2004, que foi de 6504 registros.

Frequência de furtos de celulares desde 2003. Fonte: Instituto de Segurança Pública. Elaboração: Instituto RIO21

“A redução do número de casos pode ser atribuída à pandemia, visto que essa coincide com o início da quarentena. Em fevereiro, o número de roubos registrados foi de 1110, caindo para 811 em março, mês em que foi instaurado o isolamento social no Rio de Janeiro. Em abril, houve uma queda ainda maior, sofrendo uma elevação significante apenas em julho, quando foram instauradas algumas medidas de flexibilização”, observa Philipp Guedon, diretor de pesquisa do Instituto Rio21.

Frequência de roubos de celulares em 2020. Fonte: Instituto de Segurança Pública. Elaboração: Instituto RIO21

Um movimento semelhante foi observado nos registros de furtos de celulares. Após atingir o pico em fevereiro, houve uma diminuição significativa de casos registrados nas delegacias locais.


Frequência de furtos de celulares em 2020. Fonte: Instituto de Segurança Pública. Elaboração: Instituto RIO21

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui