Foto: Vicente de Mello

Duas esculturas cinéticas inéditas do artista plástico Raul Mourão estão expostas na Avenida Delfim Moreira, número 558, no Leblon. A intervenção artística, batizada de Viva Rebel, é apresentada pela Gafisa e está aberta a visitas até o dia 21 de março, ocupando um espaço onde será construído um futuro empreendimento comercial. Gratuita, a mostra respeita todos os protocolos de segurança sanitária, com limite diário de público, distancimanto social e exigência da obrigatoriedade do uso de máscaras.

As duas esculturas cinéticas de grande escala foram projetadas pelo artista durante a pandemia, em 2020. São desdobramentos da série Grade, e remetem às grades usadas para proteção, segurança e isolamento em ruas do Rio de Janeiro, presentes nas fotografias realizadas pelo artista há três décadas. Apesar de cada peça pesar cerca de 1,5 toneladas, a questão central não é o peso ou a brutalidade, mas sim o equilíbrio, a possibilidade de movimento e o cuidado.

Basta um pequeno gesto do espectador para que toda essa massa se movimente, permitindo que as linhas da estrutura de aço se cruzem e criem um embaralhamento visual”, explica o artista.

Além das esculturas, haverá uma instalação de setas em bandeiras hasteadas a seis metros de altura na entrada do terreno que demarcam a ocupação de um território e sinalizam que algo pode estar acontecendo ali. Estes elementos são resultado de uma série de fotografias que Mourão realizou entre o fim dos anos 1980 e o início dos anos 1990, presentes até hoje em sua obra e que retratam tapumes brancos com setas vermelhas usados pelo poder público para indicar desvios no espaço urbano em virtude de obras.

Foto: Divulgação

Ao longo de três décadas de produção, Raul Mourão vem construindo um corpo de trabalho que sempre se interessou pelos espaços entre o público e o privado, a rua e o ateliê e os circuitos da cidade e da arte. No projeto Viva Rebel, isso se reapresenta.

A mostra ocupará o espaço que está temporariamente vazio, e o limite do terreno é delimitado pelas empenas de quase 20 metros de altura dos prédios que antes rodeavam a casa, transformando o lugar em uma espécie de beco sem saída à beira mar”, destaca o artista.

A exposição é apresentada pela Gafisa, uma das maiores construtoras e incorporadoras do Brasil. Para a companhia, a iniciativa reflete o seu objetivo de oferecer uma gentileza urbana por meio da arte.

Neste terreno tão icônico, queremos agregar uma função social e cultural ao espaço, proporcionando uma experiência enriquecedora, além do convencional, aos visitantes da orla carioca”, destaca o diretor de Novos Negócios da Gafisa e CEO da Gafisa Propriedades, Guilherme Pesenti.

O título-manifesto da exposição, Viva Rebel, é uma exaltação e um alerta. Espaço fundamental para a cena musical carioca, a Audio Rebel completou 15 anos ano passado e, como todos, tem sofrido os efeitos da pandemia. Como parte do movimento para manter a casa funcionando, Raul está produzindo e dirigindo um documentário sobre a história do espaço. Esta exposição é uma homenagem e um espaço para solidariedade.

Raul Mourão é artista multimídia, produtor e diretor de arte. Estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e expõe seu trabalho desde 1991. Sua obra abrange desenhos, gravuras, pinturas, esculturas, vídeos, fotografias, textos, instalações e performances.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui