Foto: Reprodução/Internet

O preço do gás de cozinha registrou alta de 4,3% nas últimas 4 semanas, segundo informações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O botijão de 13 kg chegou a R$ 130,00, na região Centro-Oeste do Brasil. Em boa parte do País, o gás de cozinha custa R$ 88,94, quase 10% do salário mínimo.

No Rio de janeiro, o botijão de 13 kg está custando em média R$ 82,35. No entanto, o valor varia entre o preço mínimo de R$ 75, 00 e o máximo de R$ 89,00. De acordo com a ANP, o Jardim Sulacap registrou preços de R$ 75, 00 e R$ 78,99; e Bangu, R$ 77,00, os mais baixos verificados pela Agência. No âmbito do levantamento da ANP, o bairro de Bangu também registrou os preços eram os mais elevados para a venda do insumo: R$ 84,99; R$ 85, 00 e R$ 89,00.

O preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) teve o seu valor reajustado em 6% em meados de junho pela Petrobras. Tendo o seu valor permanecido sem reajuste em maio. Já o gás natural (GNV) foi reajustado em 39% em maio, e também registrou alta de 1,4% nas últimas 4 semanas nos postos de abastecimento. O combustível foi comercializado pelo preço médio de R$ 3,88 por metro cúbico, segundo a ANP.

Nas últimas quatro semanas, a gasolina subiu 0,6%, chegando a ser vendida a R$ 5,695 o litro. O diesel, no entanto, permaneceu praticamente estável, sendo negociado nos postos de abastecimento a um preço médio de R$ 4,498, tendência menos responsiva às oscilações do mercado internacional.

Em recente audiência pública na Câmara dos Deputados, o presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, explicou que observa o desenvolvimento das tendências do preço do petróleo para determinar novos reajustes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui