Mais um problema para a campanha de Wilson Witzel (PSC) que tenta estancar a queda de votos com o apoio dos outros, Jair Bolsonaro (PSL) declarou neutralidade, General Mourão (PRTB) o mesmo e com conselho de não apoiar Witzel, o presidente nacional do PSL e braço direito de Bolsonaro disse que votará em Paes, e por aí vai. Agora foi a vez do General Heleno ter de vir a público declarar neutralidade na eleição do Rio de Janeiro, isso depois de um programa eleitoral de Witzel dizer que Heleno o apoiava.

Veja a declaração:


Vale ressaltar que nas hostes do PSL do Rio, o ex-juiz também tem recebido críticas por não conseguir explicar bem sua relação com Luiz Carlos Azenha, advogado do traficante do Ném. Inclusive, o deputado estadual eleito mais votado do partido, Carlos Jordy, fez uma dura crítica ao candidato a prefeito por esta dificuldade:


Esse e outros motivos foram elencados por Bruno Kazuhiro nos motivos para não votar em Wilson Witzel.

1 COMENTÁRIO

  1. Grande merda! Essa notícia!
    Esse jornal devia mudar de Diário do Rio de Janeiro para Diário do Cabral.
    Vai apoiar esses bandidos na cadeia junto com eles.
    Jornalista de bosta!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui