Gestão da educação é melhor avaliada na Zona Sul e no Centro, diz Instituto Rio21

O Instituto Rio21 divulga os resultados da 4ª edição da pesquisa de Avaliação do Governo Municipal do Rio de Janeiro

Imagem apenas ilustrativa | Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Entre o final de junho e o início de julho o Instituto Rio21 realizou a 4ª edição da pesquisa de Avaliação do Governo Municipal do Rio de Janeiro, um monitoramento mensal fruto de uma parceria com o Diário do Rio. Na série de apresentação dos resultados da pesquisa, hoje debateremos a opinião dos cariocas a respeito da gestão da educação e da assistência social.

A educação é fundamental para o desenvolvimento da cidade, e por isso é uma das áreas de atuação mais importantes da Prefeitura. Nas duas primeiras edições da pesquisa, em agosto e novembro de 2021, a opinião dos cariocas estava bem dividida.

Em março deste ano despontaram as avaliações negativas, que alcançaram a marca de 53%. Já na edição de julho de 2022 as avaliações como Ruim ou Péssima tiveram uma queda de mais de 12% e houve uma discreta recuperação nas avaliações como Ótima ou Boa, atualmente pontuando 24%:

As avaliações positivas variaram bastante de acordo com as zonas da cidade. No Centro e na Zona Sul, praticamente 1/3 dos cariocas avaliam atualmente que a gestão da educação é Ótima ou Boa. Esse cenário já muda bastante quando vamos para a Zona Oeste, onde apenas 16% dos cariocas avaliam positivamente a gestão da educação:

O aumento nos percentuais de avaliação positiva pode ter sido um reflexo de alguns esforços da Prefeitura postos em prática por meio da Secretaria de Educação. No início do mês, por exemplo, foi anunciado que serão construídas quatro escolas olímpicas na Zona Oeste utilizando o material da desmontagem da Arena do Futuro, conforme noticiado pelo Diário do Rio.

O caso da assistência social é parecido: entre agosto de 2021 e março de 2022 houve um aumento expressivo de avaliações negativas, que chegaram a quase 60% em março. Em julho de 2022, houve uma queda de quase 10% nas avaliações negativas e um acréscimo de 4,6% nas avaliações positivas:

Recentemente, no cenário de retorno do Brasil ao mapa da fome, a Secretaria de Assistência Social tem intensificado as atividades para inscrição e atualização do CadÚnico. Segundo anunciado nas redes sociais da Secretaria, foram contratados mais 100 funcionários e adquiridos novos computadores para essa atividade. Essas ações podem ter sido um dos fatores que impactaram na queda de avaliações negativas e no crescimento das avaliações positivas, em julho de 2022.

Entre os dias 27 de junho e 4 de julho de 2022, o Instituto Rio21 ouviu 1340 moradores da capital de forma online.

A próxima edição está prevista para ser realizada no mês de outubro, dando continuidade a um ciclo de pesquisas periódicas que deverá perdurar até o final desta gestão.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui