Foto: Eliane Carvalho

A partir desta quinta-feira (15/07), o Governo do Estado do Rio de Janeiro entra na campanha de castração e doação de ração para cães e gatos realizada pelo projeto Rio Eco Pets. Até o fim do ano, a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento e o RioSolidario participam da ação, que vai arrecadar tampinhas e óleo de cozinha para reciclagem. O valor da venda dos materiais será destinado aos abrigos e protetores de animais cadastrados pelo instituto.

Proteger o ambiente e os animais é uma missão de todos nós. A causa animal é um tema que vem sendo defendida pelo Governo do Estado. Só neste ano, sancionamos a lei que cassa empresas que provocarem maus-tratos a animais, outra proibindo a realização de corrida de cachorros e também uma que não permite a aplicação de tatuagens e piercings em animais domésticos e silvestres“, afirmou o governador Cláudio Castro.

Foto: Eliane Carvalho

Segundo a primeira-dama e presidente de honra do RioSolidario, Analine Castro, a ONG vai instalar pontos de coleta dos materiais em órgãos e secretarias estaduais. A ideia é conscientizar prefeituras e instituições cadastradas pelo RioSolidario sobre a importância da campanha: “Vamos oferecer toda a experiência do RioSolidario em campanhas sociais para alcançar o maior número de animais castrados possível e ainda ajudar na alimentação deles“.

O secretário de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Marcelo Queiroz, destacou que o projeto Rio Eco Pets é referência entre os protetores de animais: “Essa é mais uma campanha que abraçamos por meio da Subsecretaria de Proteção e Bem-Estar Animal (RJPet), que além de realizar ações de incentivo à adoção, realiza a prevenção e erradicação de doenças. Vamos continuar a proteger os nossos cães e gatos, os nossos animais”.

Rio Eco Pets

O Rio Eco Pets é um projeto sem fins lucrativos que, desde 2018, vende tampas plásticas para a reciclagem e doa o valor para abrigos e protetores cadastrados realizarem castrações e cuidados veterinários de seus animais. O projeto atua no Estado do Rio de Janeiro e, atualmente, possui mais de 400 pontos de coleta. Em três anos de atuação, já foram recicladas mais de 230 toneladas de material, beneficiando 2.239 animais de 303 protetores.

Essa parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro representa um reconhecimento do nosso esforço e trabalho voluntário desde 2018, ajudando os animais e o meio ambiente. Além de ser uma grande possibilidade de crescimento, com esse convênio, esperamos expandir nossa área de atuação, atender um maior número de cidades e incluir a doação de ração para os abrigos cadastrados, beneficiando mais animais e conscientizando mais pessoas sobre o destino correto de resíduos“, destacou Fernanda Perissé, uma das fundadoras do projeto.

3 COMENTÁRIOS

  1. Realmente o meio ambiente e os animais estão sofrendo muito, os políticos a população e esse presidente irresponsável tem que fazer alguma coisa, em São Paulo o presidente enviado pelo Satanás tirou a castração e as vacinas, tenho animais, a cada dia fica mais difícil manter, mais não significa que vou joga na rua, tem gente irresponsável que se aproveita da pandemia e os abandonas, como posso fazer isso com os inocentes? são meus filhos de 4 patas…

  2. Que boa iniciativa do Governo do Estado do RJ se movimentando a favor dos animais.Com a pandemia o número de animais abandonados quadriplicou e está muito difícil continuar ajudando e alimentando tantos,sem ajuda,sem apoio,com preços da rações aumentando sem parar,está muito complicado.E por outro lado tem a dificuldade de se conseguir vaga para castração pela Prefeitura,um dia só para agendar e poucas vagas.Nada justifica o abandono,mas para quem é covarde e irresponsável a dificuldade para se conseguir castração vira uma desculpa.
    E na prática como fica a Lei que obriga a Prefeitura a doar ração?
    Há anos que todo dia alimento animais na rua(os que cruzam meu caminho,os que me esperam nos mesmos lugares e os que vem comer na minha porta),e como matar a fome de tantos sem nenhuma ajuda?O ideal não é só matar a fome,mas alimentar e castrar.E conseguir ajuda para que saiam do abandono.
    É muito triste,angustiante,enquanto uns pegam R$1 milhão e compram um carro,outros ficam se apertando,se endividando, se virando nos 40,50 para ajudar,socorrer e alimentar os animais indefesos.
    ??????

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui