Foto: Luis Alvarenga/Governo do Estado do RJ

O governo do estado do Rio de Janeiro lançou, na manhã desta quinta-feira (25/11), o projeto Verão Guandu 2022, conjunto de medidas adotadas pela Secretaria de Estado de Ambiente e Sustentabilidade (Seas), Cedae, e pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Com intervenções de curto, médio e longo prazos, as ações não se restringem ao verão 2021/2022, mas devem assegurar fornecimento de água de qualidade para os próximos anos.

Entre as ações anunciadas, destacam-se a implantação de Unidades de Tratamento de Rios (UTRs) na Baixada Fluminense para diminuir a poluição dos rios Poços, Queimados e Ipiranga e o aumento do volume de bombeamento do rio Guandu para as lagoas próximas à estação de tratamento. Além de melhorar a qualidade da água captada, será possível renovar a água e reduzir os fatores que contribuem para a concentração de algas produtoras da geosmina (fenômeno causado pela presença de nutrientes, calor e água parada, com maior incidência no verão).

Modernização e obras no Sistema Guandu, obras de desassoreamento, acompanhamento de licenças, monitoramento dos rios e investimento em novas tecnologias também fazem parte do planejamento.

Além disso, o Governo do Estado atua também através do Comitê de Segurança Hídrica, criado este ano com o objetivo de agir de forma preventiva para conter os impactos da situação hídrica.

“Investimos nesse grande plano reforçando protocolos e adicionando recursos para que mais de 9 milhões de fluminenses do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, São João de Meriti, Nova Iguaçu, Mesquita, Nilópolis e Belford Roxo atendidos pela ETA Guandu sejam beneficiados com água de qualidade. Além das UTRs, a Cedae tem modernizado toda a estação de tratamento com equipamentos de última geração. Antes disso, não podemos perder de vista que é preciso eliminar o despejo irregular sobre os rios. A legislação nos protege, mas é necessário fiscalizar para evitar que os resíduos poluam os mananciais que nos abastecem”, destacou o governador Cláudio Castro.

Ao descrever o conjunto de medidas, o secretário do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha, reforçou que os projetos vêm sendo planejados e implantados ao longo do ano e ganharam vulto de forma integrada para o próximo verão.

“Estamos atuando de forma preventiva e por meio de ações integradas para evitar ao máximo que a população fluminense sinta os impactos na qualidade da água e no abastecimento nesse período do verão. Desde o começo do ano estamos focados no trabalho na região do Guandu e agora isso será intensificado com o projeto Verão Guandu”, explicou.

Signatária do compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), que prevê garantia de disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos (6º objetivo), a Cedae detalhou suas ações no Verão Guandu. Diretor-presidente da companhia, Leonardo Soares observou ainda que a manutenção preventiva do Sistema Guandu (envolvendo a ETA Guandu e os subsistemas Marapicu e Lameirão), prática anual destinada ao verão, acontece em paralelo a investimentos robustos em modernização.

“A Cedae está focada na qualidade da água. Sabemos que o problematem origem no crescimento desordenado e no desrespeito aos recursos naturais que perdura há décadas. Hoje o nosso desafio é reverter esse cenário por meio de medidas assertivas que já estão sendo adotadas, como a instalação do sistema de bombeamento que diminui a temperatura da água para dificultar a proliferação das algas; as obras de modernização e automação da ETA Guandu; a aquisição de modernos equipamentos para o Laboratório de Qualidade da Água; e o desenvolvimento de um painel on-line que irá oferecer informações em tempo real sobre o estado da água de captação. Todas nossas ações referentes à qualidade da água serão feitas com a máxima transparência possível”.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui