Cláudio Castro, governador em exercício do RJ - Foto: Rafael Campos/Governo do RJ

Um decreto publicado nesta sexta-feira (02/10) no Diário Oficial estabelece novas regras para o uso dos veículos que atendem ao Estado do Rio, como a proibição de transporte de servidores da residência para o serviço, exceto em casos de necessidade comprovados e autorizados.

A medida faz parte de um conjunto de outras normas para redução do número de carros alugados pelo estado, da frota própria de veículos e também de carros de representação que atendem a autoridades e às administrações direta e indireta. O objetivo do governador em exercício, Cláudio Castro, é gerar com isso uma economia anual de 34%, correspondente ao valor de R$ 23 milhões.

Além disso, o governo passou a adotar o RJ Mobi, um aplicativo de transporte para ser usado pelos servidores em compromissos de trabalho, que pode ser acionado pelo celular ou computador.

Segundo o governo, o aplicativo vai proporcionar uma redução de 13% nos gastos com transportes de servidores.

O RJ Mobi vai funcionar de forma semelhante aos aplicativos que existem no mercado. O servidor entra na loja de aplicativos, baixa a ferramenta no celular, realiza um cadastro e espera a autorização para começar a utilizar o sistema, que também poderá ser acessado pelo site.

A rota e os horários de saída e de chegada serão registrados e fiscalizados pelos usuários supervisores, que deverão ser indicados pela autoridade máxima de cada órgão. Caso o meio de transporte seja utilizado de forma irregular, o servidor estará sujeito à sindicância e sanção administrativa. Somente servidores cadastrados e autorizados poderão utilizar.


3 COMENTÁRIOS

  1. Absurdo. Qual a razão para servidor público tem transporte específico, e de carro, para se locomover de sua residência para o local de trabalho? E nós, os simples mortais, continuamos espremidos nos ônibus sem ar condicionado e no metrô? Depois o governo não tem dinheiro para a saúde e educação. Aberração. Vamos acabar logo com isto.

  2. O mais bizarro é que foi preciso vir um vírus da China, para que o óbvio fosse feito. Desde quando servidor tem que ter regalias a custo do povo? Se o próprio povo não tem esse nível de luxo em sua grande maioria?
    A verdade é que nesse meio (servidor público brasileiro), tem gorduras demais e a hora para começarmos as mudanças é agora, antes que seja tarde demais.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui