Imagem meramente ilustrativa de vacina sendo aplicada - Foto: Getty Images

O Governo do estado do Rio de Janeiro defendeu a vacinação de adolescentes. Nesta quarta-feira (15/09), o Ministério da Saúde publicou uma nota informativa em que volta atrás sobre a vacinação de pessoas de 12 a 17 anos sem comorbidades. A nova orientação do ministério é que não seja feita a vacinação deste grupo.

Após a nota do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) reforçou a segurança das vacinas contra Covid-19 em todas as faixas etárias para as quais elas foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A pasta destacou também que , desde o início da vacinação em adolescentes de 12 a 17 anos, em 24 de agosto, não houve registro de eventos adversos graves no estado.

A vacinação em adolescentes vem ocorrendo em todo o mundo e tem se mostrado eficaz no combate à Covid-19 e segura em sua aplicação“, diz a nota.

Na manhã desta sexta-feira (17/09), a equipe técnica da SES realizou uma reunião com o Grupo de Especialistas em Vigilância Epidemiológica, que assessora a vigilância estadual, para debater o tema. Os pesquisadores manifestaram suas opiniões embasadas em estudos científicos que evidenciam a eficácia e a segurança da vacina nessa faixa etária. Eles foram favoráveis à continuidade da vacinação de adolescentes.

Assim como o grupo de especialistas, a SES defende a vacinação dos adolescentes, conforme pactuado na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), sem prejuízo da aplicação da dose de reforço nos idosos mas, para isso, é necessário que o Ministério da Saúde garanta o aporte de vacinas“, diz o texto enviado pela pasta.

A secretaria ressaltou ainda que a aquisição de doses é uma atribuição do governo federal. “A SES faz uma gestão junto ao Ministério da Saúde para que a decisão de suspender a vacinação em adolescentes seja revista“, finalizou.

Vacinação na capital

Nesta quinta-feira (16/09), a secretaria municipal de Saúde do Rio informou que o assunto da vacinação de meninos e meninas de 13 e 12 anos será submetido ao Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19, que avaliará as ponderações do Ministério da Saúde na próxima quarta-feira (22/09).

A secretaria afirmou ainda que o assunto também está em discussão pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui