Para debater ações de desenvolvimento socioeconômico do litoral fluminense, integrantes do Cluster Tecnológico Naval do estado do Rio reuniram-se com o governador Cláudio Castro (PL), no Palácio Guanabara nesta semana. O grupo sugeriu a criação da “autoridade marítima”, no âmbito do governo, com a missão de articular ações para fomentar a chamada “economia do mar”. O governador deu 15 dias para o Cluster formatar a ideia em conjunto com a secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico e apresentar as propostas de ação do novo órgão.

O Cluster, ligado à Firjan, existe desde 2019 e é formado pelas estatais federais Emgepron, Nuclep e Amazul, além da Condor Tecnologias não Letais, única empresa privada do grupo. Na reunião, foi apresentado o plano de ação elaborado pelo Cluster para fomentar a chamada matriz insumo-produto do setor, que vai da construção de navios e plataformas de petróleo até o turismo marítimo, passando por temas como a da compra de conteúdo nacional e a pesca artesanal.

As ações já estão mapeadas. O que falta hoje é uma coordenação e articulação com todos os atores envolvidos, governos federal, estadual e municipais, empresas e Assembleia Legislativa (Alerj), para fazer esse barco entrar no prumo”, afirmou o presidente da Engepron, almirante Edesio Teixeira.

Ele lembrou que a falta de articulação política impediu o Rio de disputar a concorrência para a construção das quatro novas corvetas da Marinha, vencida em 2019 por um consórcio que se instalou no Porto de Itajaí, em Santa Catarina. O empreendimento está gerando seis mil empregos no estado do Sul.

O governador fluminense disse que, desde a campanha de 2018, fala da importância da indústria naval e da economia do mar para o estado. “Como se diz na igreja, vocês estão pregando para um convertido. Me deem a missão que eu cumpro”, disse Cláudio Castro.

Além do governador e do almirante Edesio, participaram da reunião o ex-comandante da Marinha, almirante Ilques Barbosa, o segundo vice-presidente da Firjan e o presidente da Condor, Carlos Erane Aguiar, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Vinicius Farah, e a deputada estadual Célia Jordão (Patriota), presidente da Comissão Especial de Indústria Naval da Alerj.

Precisamos retomar a força da indústria naval dentro de um planejamento estratégico com o apoio dos governos federal e estadual e da Marinha do Brasil“, ressaltou Célia Jordão. Ela contou que, como presidente da comissão no parlamento estadual do Rio, já manteve reuniões com Petrobras, ANP, Firjan, Sinaval, secretaria de estadual de Desenvolvimento Econômico, conselho diretor do Fundo de Marinha Mercante, senadores, universidades, trabalhadores do setor, Engeprom e Cluster Tecnológico Naval para ouvir e buscar um caminho integrado de desenvolvimento.

Agradeço ao governador Cláudio Castro que abriu essa oportunidade de diálogo para que possamos avançar ainda mais com os trabalhos na direção do desenvolvimento e da geração de emprego e renda para a população”, reforçou a deputada.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui