Imagem meramente ilustrativa (Foto: Reprodução Internet)

Cerca de 1.000 profissionais de saúde que atuam no Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe) e no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), ambos na Zona Norte do Rio, serão vacinados nesta segunda-feira (05/10) com a vacina BCG, o medicamento está em fase testes clínicos e promete ser um importante aliado na prevenção contra o Coronavírus.

A iniciativa está sendo promovida pela RedeVírus, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). O evento desta segunda contará, inclusive com a presença do Ministro do MCTI, Marcos Pontes, que estará no Rio de Janeiro acompanhando os procedimentos no hospital Clementino Fraga Filho da UFRJ.

A BCG é uma vacina aplicada logo no nascimento para prevenir formas graves de tuberculose em crianças. Segundo o MCTI, o estudo sobre a eficácia da vacina no combate a Covid-19, partiu de uma hipótese baseada em dados que mostram que países que mantém o uso da vacina apresentaram menor incidência de Covid-19 em comparação com países que suspenderam o uso da BCG universal como por exemplo os EUA, a Espanha e a Itália.

Desde então, foram adquiridos insumos para a execução das rotinas clínicas e laboratoriais, e de equipamento de informática para registro e análise de dados, além da composição e capacitação da equipe para a execução dos estudos.

A coordenadora da pesquisa, professora de Tisiologia e Pneumologia do Instituto de Doenças do Tórax da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Fernanda Mello explica que os estudos buscam responder se a vacina ajuda, tanto na prevenção da infecção, quanto na ocorrência de formas graves de Covid-19.

Fernanda destaca ainda, a importância do estudo junto aos profissionais de saúde. “Ao avaliarmos o efeito da vacina BCG entre profissionais de saúde, esperamos verificar seu potencial para evitar o adoecimento e as formas graves da doença entre eles, que representam o braço operacional da linha de cuidado aos pacientes Covid-19. A manutenção desta força de trabalho é fundamental para que seja garantido o melhor cuidado aos portadores do Coronavírus”.

Laboratórios de campanha

Ainda em visita ao Rio, o Ministro Marcos Pontes irá inaugurar as instalações do laboratório de campanha para testes diagnósticos no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

De acordo com o coordenador do laboratório de campanha da UFRJ, Amílcar Tanuri, a estrutura do laboratório, que foi totalmente reformado com capacidade NB-2 de biossegurança, tem a capacidade de realizar 300 testes moleculares, do tipo PCR, por dia. Embora seja focado em testes moleculares, o laboratório também pode realizar exames sorológicos e antigênicos.

O coordenador também destaca outros fatores importantes da iniciativa. “É interessante nesta concepção de laboratório ligado à universidade que os testes se tornam parte da pesquisa, ” afirma. “Não são meros testes como são feitos em laboratórios privados, que o paciente só recebe o resultado”.

Segundo ele, a estrutura moderna está dando apoio à cidade e ao Estado do RJ, especialmente à comunidade da UFRJ, que soma mais de 70 mil pessoas entre professores, alunos e colaboradores. A expectativa é dar mais segurança na retomada das atividades na universidade. “Já estamos atuando na retomada de cursos que não podem ser on-line, como residência médica e internatos de odontologia, por exemplo”.

Com o investimento de R$ 35 milhões do ministério por meio da RedeVírus MCTI na iniciativa Laboratórios de Campanha MCTI, o país poderá realizar 100 mil exames a mais por mês. Ao todo, são 13 laboratórios que integram a ação por todo o país. Os laboratórios também poderão avaliar o uso da técnica de diagnóstico que utiliza uma gota de saliva do paciente, sem a necessidade de reagentes, para produzir um diagnóstico em questão de minutos. O equipamento para essa técnica é moderno, portátil e tem o potencial de facilitar o acesso aos exames.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui