Crise hídrica e água suja no Rio (Foto: Marcelo Theobald)

Segundo matéria publicada no portal G1, a concessão da Cedae vai permitir um investimento direto de R$ 30 bilhões em infraestrutura ambiental, pelo menos é o que garante o governo do Rio de Janeiro. A proposta é que com o projeto os 25 rios, córregos, valas e canais que integram a bacia do Rio Guandu e desaguam na Baía de Sepetiba não recebam mais esgoto in natura, ou seja, sem ter passado por nenhum tipo de tratamento.

Além disso, também está um investimento de R$ 2,9 bilhões para recuperação ambiental da bacia deve permitir a chegada de uma água mais limpa à Estação de Tratamento do Guandu, que atende toda a Região Metropolitana do estado.

De acordo com o secretário de Estado da Casa Civil do RJ, Nicola Miccione, os investimentos no tratamento de esgoto e na recuperação da bacia do Guandu deverão contribuir para uma melhora na água que chega ao consumidor.

Não apenas o investimento específico de 2,9 bilhões na bacia do Guandu vai propiciar um fornecimento de água com maior qualidade, mas também os outros investimentos em saneamento, que vão impedir o despejo de esgoto nos rios. E além disso, a Cedae poderá focar sua atuação na captação e tratamento da água fornecida“, afirmou o secretário de Estado da Casa Civil do RJ, Nicola Miccione, em entrevista ao G1, que complementou.

A gente entende que uma Cedae focada nisso e com investimentos da empresa, a tendência é que a qualidade da água que chega aos consumidores seja muito maior”.

Governo do RJ prevê concessão da Cedae para abril de 2021

No fim do ano passado, o governo anunciou que trabalha com a data de 30 de abril de 2021 para que sejam assinados os quatro contratos com as concessionárias que vão assumir os serviços de distribuição de água e tratamento de esgoto em 35 municípios do estado, que atualmente estão sob a gestão da Cedae.

O edital de concessão da empresa foi publicado no Diário Oficial na mesma época. Segundo o documento, os interessados terão até 120 dias para apresentar suas propostas. O critério de licitação será o de maior outorga, cujo valor mínimo é de R$ 10,6 bilhões.

Seis empresas já vão iniciar visitas para concessão da CEDAE

Seis empresas, dentre as maiores do país no setor de saneamento, já iniciaram as visitas técnicas às instalações da Cedae nos quatro blocos da concessão. No total, estão agendadas até o momento 1.446 encontros em 35 municípios da Região Metropolitana (19) e do interior (16).

Crise de água

A crise hídrica que o Rio de Janeiro está vivendo devido à contaminação da Estação de Tratamento de Guandu com geosmina, substância orgânica formada por algasvem castigando os fluminenses desde janeiro do ano passado. A população do RJ vem sofrendo com a má qualidade da água, que em diversas regiões do estado apresentam coloração barrenta, gosto estranho e cheiro ruim. Não bastasse isso, o fornecimento quase sempre é irregular.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui