Governos do Estado e Federal fecham parceria para combater criminosos no Rio

Cláudio Castro e o ministro Flávio Dino se reuniram em Brasília, nesta segunda-feira, para oficializar o apoio para o combate ao crime organizado, especialmente na Maré

Divulgação

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), se reuniram em Brasília, nesta segunda-feira (02), para oficializar o apoio para o combate ao crime organizado, em especial na região do Complexo da Maré, conforme solicitado pelo Governo do Estado.

Durante a reunião, as lideranças abordaram estratégias de atuação das forças estaduais e federais para prender criminosas do Rio e de outros estados brasileiros. “A Maré é o ponto de partida, mas não é o fim, até porque nós já vimos outras vezes esse processo de evasão dos criminosos de um local e, depois que a polícia atua, eles voltam. A ideia é a Maré ser o início e depois que isso se irradie para outras comunidades, e a gente possa, sobretudo, prender lideranças e fazer uma asfixia financeira dessas organizações criminosas com inteligência e combate à lavagem de dinheiro, sejam elas milícia, tráfico, narcotráfico ou facção A, B ou C”, explicou o chefe do Executivo estadual.

O governador disse ainda que, pelo acordo, criminosos de alta periculosidade serão transferidas para presídios federais em outros estados. “Ficou acertada essa colaboração do Governo Federal coordenando o trabalho de outros estados que têm inquéritos com lideranças alocadas no Rio de Janeiro, sobretudo no Complexo da Maré”,  disse Castro após a reunião.

Para atuar na Maré, as  forças de segurança contarão com o uso especial de tecnologia, especialmente drones, inteligência artificial, reconhecimento facial e de placas, câmeras portáteis. A Força Nacional ficará disponível para atuar a qualquer momento.

“É um trabalho em conjunto, mas a coordenação de áreas mais sensíveis fica com o Rio de Janeiro e subsidiada pela Força Nacional e pela PRF, até mesmo por aprendizados em locais mais sensíveis – e as nossas forças já têm essa experiência –, para que a gente não coloque outros agentes em risco. Foi uma reunião muito produtiva. Não falaremos em data para não tirar o fator surpresa da operação policial”,  ressaltou o governador.

Com o objetivo de reduzir indicadores de mortes violentas no território fluminense, o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) autorizou, nesta segunda-feira, o uso de 300 integrantes da Força Nacional, além do emprego de 50 viaturas. Os agentes complementarão o contingente de 270 policiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e os 22 veículos blindados e um helicóptero que serão enviados ao Estado.

O Governo Federal também deve enviar ao Rio um total de R$ 247 milhões, sendo que R$ 95 milhões serão destinados à construção de presídios de segurança máxima. Os recursos são provenientes do Fundo Nacional de Segurança Pública e do Fundo Penitenciário Nacional.

Na última sexta-feira (29/9), Cláudio Castro se encontrou com o secretário-executivo do MJSP, Ricardo Cappelli, para firmar uma parceria no combate à criminalidade no Rio. Na reunião, foi anunciada a implementação do Comitê Permanente de Inteligência no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), com a atuação da polícias Militar, Civil, Polícia Rodoviária Federal e  Federal.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui