Rosa Fernandes já se elege com os votos de IrajáDe bater palmas de pé o PLei do Senador Aloysio Nunes (PSDB) que será analisado pela CCJ do Senado nesta quarta-feira, ele modifica a eleição para vereadores em grandes cidades. O projeto institui o sistema eleitoral majoritário nos municípios com mais de 200 000 habitantes. De acordo com a coluna Radar, da Veja:

Cada distrito da cidade teria, obrigatoriamente, um representante na Câmara local. Os distritos seriam definidos pelo TSE, com base no banco de dados de eleitores, e precisarão ter níveis populacionais semelhantes, claro, para que uma região mais populosa não fique com o mesmo número de representantes do que outra, de menor porte.

 

Por que trouxe para o Diário do Rio a notícia sobre este Projeto de Lei, por uma razão simples, a Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro pouco representa nossa população. São poucos os cariocas que lembram em quem votaram na eleição do ano passado, pouco cobram de seus vereadores e o voto distrital teria tudo para mudar isso.

Primeiro que a campanha para vereador ficará bem mais barata, afinal, o candidato não tem de percorrer a cidade toda para conseguir os votos necessários, só aí a um corte absurdo no valor a ser gasto em papéis, carros de som, cabos eleitorais. O candidato também fará menos acordos com líderes comunitários, empresas (para ter o dinheiro da campanha) e poderá usar seu tempo direto com os eleitores.

Para o eleitor também é positivo, você vota em alguém que vá representar sua região na Câmara dos Vereadores, e ficará mais fácil acompanhar o trabalho dele e cobrar por este trabalho.

Alguns vereadores já são representantes de uma região, como a vereadora Rosa Fernandes (PMDB), normalmente a mais votada ela é eleita com a maioria dos votos na região do Irajá. Claro que se manter o voto distrital ela perde parte da força política, já que é puxadora (ou seja recebe mais votos do que o necessário para se eleger). Por outro lado, terá mais paz para exercer o trabalho em prol de seus eleitores.

Claro que haverá neste tipo de eleição uma pressão ainda maior dos principais candidatos a prefeito, e isso não é ruim. Se algum vereador for eleito para ser oposição vai pegar muito mais mal ele trocar de lado, e isso seria um alento para a política brasileira.

E você, é a favor deste voto distrital?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui