No dia 07/02, você leu aqui no DIÁRIO DO RIO que o deputado estadual Dionísio Lins (PP) havia levado à Alerj a proposta de que houvesse uma folia fora de época na capital fluminense, que aconteceria na segunda quinzena do mês de julho. Essa ideia tinha como argumento o estímulo do turismo, do lazer e da economia, criando-se novos empregos e vendendo-se produtos e serviços relacionados à situação.

Pois bem, acontece que, devido à pandemia do Coronavírus que estamos vivendo, essa ideia ficou inviável. Ao menos para julho.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Segundo informações do “Blog do Ancelmo Gois”, do “O Globo”, um grupo de blocos da Zona Sul carioca estaria tentando articular um 2° Carnaval em 2020, que aconteceria no feriado do dia 12/10, no Aterro do Flamengo, e teria como objetivo “comemorar o término do Coronavírus”.

Vale lembrar que essa situação de repetir a folia não seria inédita na cidade. Em 1912, em repúdio à decisão do Governo de transferir o Carnaval de fevereiro para abril por conta da morte do Barão do Rio Branco, os foliões cariocas comemoraram a festa nas duas ocasiões.

3 COMENTÁRIOS

  1. Esse Dionísio Lins é um oportunista de mão cheia. Não está satisfeito em elaborar uma lei personalista para beneficiar o seu bloco “A Boca Maldita” da Prado Júnior aos 40 dias que antecede o carnaval oficial. O pior, é que os outros megablocos que por ganância entraram na onda.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui