O Bar Leo demitiu todos os seus funcionários no último sábado, mas informa que reabrirá após a pandemia. Um ex-funcionário desmente.

O Grupo Fábrica de Bares, ligado à AMBEV, demitiu 230 funcionários de seus bares e restaurantes. Só no último sábado, todos – isso, todos – os funcionários do Bar Léo, na Rua do Ouvidor esquina de Rua do Mercado, foram demitidos.

O grupo paulista, que atuava também no Rio, estava para reabrir o Blue Note, Clube de Jazz que funcionava no estádio de remo da Lagoa, no segundo andar do Bar Astor, na Vieira Souto, que também está fechado. A idéia foi arquivada em definitivo por conta das consequências da pandemia.

O Bar Léo, conhecido pelo chopp com espuma e pela comida alemã, serviu de estúdio para a última temporada do Mesa Viva, programa de entrevistas do DIÁRIO DO RIO. O estabelecimento tinha funcionários de todas as idades, inclusive alguns veteranos do ramo de bares e restaurantes.

O imóvel, que pertence a uma Ordem Religiosa, não foi esvaziado, e até o momento a informação é que o restaurante reabrirá com o fim da quarentena. Um ex-funcionário disse ao DIÁRIO que não acredita que a Fábrica de Bares continuará atuando no local.

São diversos os restaurantes e lojas que vêm fechando suas portas definitivamente nas últimas semanas, conforme noticiamos aqui.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui