Para comemorar seu aniversário, Guaraná Antarctica apresenta a edição especial de 100 anos com combinações surpreendentes inspiradas no gosto popular para os brasileiros.

A edição especial de 100 anos é feita com o melhor do Brasil, resultando em seis bebidas diferentes e inéditas: Guaraná Sabor Cajá, Cupuaçu, Acerola, Jabuticaba, Uva verde e Erva-mate. A escolha dos sabores também contou com a participação dos sócios do centenário – consumidores que foram escolhidos para cocriar e decidir o futuro da marca em 2021 –   que responderam, via internet, quais os novos sabores eles gostariam de adicionar na receita secreta de Guaraná Antarctica.

Antes de chegar aos novos sabores, Guaraná recebeu alguns pedidos diferentões, como sabor jiló, maxixe e jerimum. Ouvindo (quase) todos os brasileiros, a marca apostou em sabores vindos de todos os cantos do país.

“Estamos comemorando 100 anos e deixamos Guaraná Antarctica ainda mais brasileiro. Esta coleção exclusiva e limitada veio para atender ao desejo dos consumidores que constantemente nos pedem por novos sabores. Somos uma marca aberta a escutar e acreditamos no potencial dessa mistura, entre marca e cliente, e, agora, celebramos os sabores que são a cara do nosso país”, explica Julia Chieppe, gerente de marketing de Guaraná Antarctica.

As latinhas da coleção de 100 anos também recebem uma cara especial inspirada na cultura nacional. Nessa missão, Guaraná conta com as ilustrações do artista plástico Andrés Sandoval que, a partir de uma imersão na cultura e na história brasileira criou uma identidade visual rica em significado. 

A novidade está disponível em lata de 350 ml nos principais pontos de venda do Brasil.

KPMG homenageia profissionais de saúde em projeção hoje no Cristo Redentor

Em homenagem aos profissionais de saúde que estão atuando no atendimento aos pacientes da covid-19 e em prol da ciência, vacina, agricultura, alimentação e logística, a KPMG – uma das quatro maiores empresas de auditoria e consultoria do mundo – faz hoje, dia 15 de outubro, uma projeção no monumento ao Cristo Redentor. Nos braços do monumento, será apresentada a frase “nossos heróis”.

A iniciativa quer chamar atenção para discussões que ganharam destaque nas empresas durante a pandemia, como a importância das iniciativas ESG, sigla em inglês para meio ambiente, social e governança. Para isso, serão exibidas imagens que traduziram e mostraram essas discussões.

Foto: Tânia Rego | Agência Brasil

“Desde agosto deste ano, a KPMG tem apoiado o Santuário no desenvolvimento de um programa de integridade, um dos pilares centrais das iniciativas de ESG. Tudo isso no momento que o Cristo Redentor completa 90 anos, de braços abertos para o mundo e reiterando o compromisso com as boas práticas de governança”, comenta o sócio-líder de governança, riscos e compliance da KPMG no Rio de Janeiro, Rafael Weksler.

“Sendo a ética um princípio que não pode ter fim, pretendemos estabelecer uma cultura em conformidade com os principais valores presentes na Igreja Católica, em interface com o mundo corporativo, igualmente denso de valores. Por isso, a parceria do Santuário Cristo Redentor com a KPMG no desenvolvimento de um programa de integridade para o Santuário torna-se uma realidade paradigmática para os tempos atuais e inspiradora para a continuidade de uma sociedade que precisa encontrar, na transparência e na equidade, pilares fundamentais para o positivo e justo desenvolvimento”, destaca o reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar.

A projeção será na cor azul que representa a identidade visual da empresa com a campanha “Celebre o Azul”. Serão exibidas ainda as palavras que representam os valores da empresa como “integrity, excellence, courage, together, for better” (“integridade, excelência, coragem, juntos, para o melhor”).

“Este ano, a homenagem da KPMG não poderia deixar de ser para os profissionais de saúde que estão atuando no combate à pandemia. Além disso, queremos chamar atenção para as questões mais urgentes, como a ambiental e social, e que estão impactando e transformando não só o Brasil, mas o mundo todo”, afirma o sócio-lider do escritório da KPMG no Rio de Janeiro, Luis Claudio de Araújo.

Para essa e outras histórias, siga meu Instagram @marketingeoutrashistorias

Renata Granchi é jornalista e publicitária com mestrado em psicologia. Passou pela TV Manchete, TV Globo, Record TV, TV Escola e Jornal do Brasil. Escreveu dois livros didáticos e atualmente é diretora do Diário do Rio. Em paralelo, presta consultoria em comunicação e marketing para empresas do trade.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui