A Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) publicou no Diário Oficial de quinta-feira, dia 16/01, portaria que cria o Gabinete de Gestão de Crise, no âmbito da instituição, para situações de calamidade, desastres ambientais e outras ocorrências de grande impacto na cidade. O objetivo é dar mais agilidade para o emprego do efetivo em situações de urgência, como no caso das fortes chuvas que atingem a cidade no período de verão.

“A portaria formaliza a criação do Gabinete de Gestão de Crise, que já vinha sendo implementado com o objetivo de dar mais agilidade na distribuição do efetivo nos locais de maior necessidade em ocorrências de fortes chuvas e em situações de calamidade, em apoio à população”, afirmou a comandante da Guarda Municipal, inspetora geral Tatiana Mendes.

Presidido pela inspetora geral Tatiana Mendes, o Gabinete de Gestão de Crise se reunirá sempre que necessário na sede, em São Cristóvão, e terá em sua composição permanente mais 13 membros entre diretores, subdiretores, coordenadores e chefes de departamento da GM-Rio. Na ausência da comandante, será presidido pelo diretor de operações, inspetor regional Alex Coelho.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.


O gabinete pode ser acionado a partir da mudança do estágio operacional para situações de emergência no município classificado como “Atenção”, pelo Centro de Operações e Rio (COR). Entre as atribuições está a disponibilização do efetivo para pronto emprego na cidade, movimentação de recursos humanos e veículos para áreas de maior necessidade, manter rede de comunicação entre os coordenadores das unidades operacionais de cada área, entre outros. O gabinete deve enviar balanços com resultados da operação.


De acordo com a Portaria “N” GM-RIO/IG nº 2019 de 14 de janeiro de 2020, além da inspetora geral e do diretor de operações, integram o Gabinete de Gestão de Crise como membros permanentes os subdiretores técnicos de Trânsito (Subtran) e de Ordenamento da Cidade (Subdoc), os coordenadores das Regiões Operacionais (Centro, Zona Sul, Zona Norte e Oeste), de Atividades Especiais (CAE), de Operações Especiais (COE) e Lixo Zero, os comandantes dos grupamentos de Operações Especiais (GOE) e Tático Móvel (GTM), além da assessora-chefe de Comunicação Social (Ascom).

Os estágios operacionais da cidade foram alterados pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, com o lançamento do Plano Verão, em 18 de novembro de 2019. O planejamento operacional tem objetivo de mitigar os efeitos das fortes chuvas que geralmente atingem o município entre os meses de novembro e abril. Além dos estágios de Normalidade, Atenção e Crise, a cidade passou a contar com os dois novos estágios: Mobilização e Alerta.

Outras providências foram tomadas pela Prefeitura do Rio de forma preventiva em caso de chuvas fortes, como o fechamento de vias que costumam sofrer grande impacto, entre elas a Estrada Grajaú-Jacarepaguá e o Alto da Boa Vista. Para isso, foram instaladas 21 cancelas. Houve ainda a atualização dos parâmetros de acionamento das 164 sirenes instaladas na cidade, dentro do Sistema de Alerta e Alarme Comunitário para Chuvas Fortes da Prefeitura, que opera 24 horas por dia em 103 comunidades de alto risco geológico levantadas pela GeoRio.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui