Recentemente, uma das marcas mais tradicionais da cidade do Rio de Janeiro fechou suas lojas físicas. No entanto, a história da Casa Cruz não será cortada de nenhum papel.

A loja foi fundada em dezembro 1893 por José Rodrigues da Cruz, na Rua Ramalho Urtigão, centro da cidade do Rio de Janeiro, no Largo São Francisco de Paula.

Tudo começou com uma discussão entre José Rodrigues da Cruz e seu pai, o português Manoel Rodrigues da Cruz. Eles se desentenderam e José decidiu abrir o próprio negócio”, conta o historiador Maurício Santos.

Antes disso, pai e filho mantinham, desde 1870, uma loja de artigos marítimos. Lampiões e vidros redondos para as vigias dos navios eram comercializados no estabelecimento que ficava na Rua Teófilo Otoni e já era chamado de Casa Cruz.

[iframe width=”100%” height=”90″ src=”https://diariodorio.com/wp-content/uploads/2015/05/superbanner_66anos.swf-3.html”]
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis contribui para a valorização da cultura carioca

Trabalhando sem o pai, José Rodrigues da Cruz resolveu ampliar os negócios. Além dos produtos provenientes do vidro, passou também a vender artigos de papelaria, que normalmente eram importados nesta época, iniciando uma história de sucesso.

Após a sede do centro da cidade, outros espaços da Casa Cruz foram inaugurados. Tijuca, Copacabana, Madureira, Campo Grande e Niterói tiveram lojas da Casa.

Por muito tempo, a Casa Cruz do Rio de Janeiro foi, para muitos, a maior papelaria de todo o território nacional.

A papelaria do Largo de São Francisco de Paula, a mais famosa de todas as Casa Cruz, sofreu alguns incêndios, o último deles, há dez anos, em dezembro de 2007.

Entre o final de agosto e início de setembro de 2017, todas as lojas físicas da rede foram fechadas. Contudo, as vendas online e a história continuam.

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui