Referência de culinária germânica na cidade do Rio de Janeiro, a Casa Urich é um verdadeiro exemplo de manutenção das tradições e de constante sucesso.

A Casa Urich abriu as portas em 1913, fundada pelo alemão Edmund Urich. De lá para cá, nesses mais de 100 anos de história, o local cativou incontáveis clientes com seus pratos e petiscos alemães.

Entre os pratos, o mais famoso: Kassler defumado com a salada de batata original e chucrute.

Kassler defumado

Após décadas de um início de muito sucesso como restaurante de culinária alemã no centro do Rio de Janeiro, em 1942, a casa foi comprada por um ex-funcionário, o espanhol Jose Gil Dieguez.

Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

“A compra feita por um espanhol, por sorte, não mudou a ideia de priorizar a culinária alemã, tendo-a como carro chefe, mesmo que existam outros pratos no vasto cardápio”, conta Diego de Paula, pesquisador e frequentador da Casa Urich – que elegeu a linguiça a metro como seu prato predileto.

Linguiça a metro, foto: Gabriel Subtil

Jose Gil Dieguez, inclusive, investiu em uma minuciosa reforma no Restaurante e, para isso, convidou o amigo e renomado arquiteto Francisco Riviera para ajudar. O clima de Rio Antigo foi mantido na boa e velha Casa Urich.

Equipe e diretoria do DIÁRIO DO RIO na Casa Urich

Em 1950, a Casa Urich foi levada para o endereço onde se encontra hoje em dia – Rua São José, número 50, em frente ao Edifício Menezes Cortes.

A Casa ainda mantém muitos clientes e funcionários antigos. Para valer a tradição.

“O melhor dia para se curtir esses sabores mais originais é quarta-feira, o Dia da Alemanha, quando todos os supracitados estão disponíveis em versões executivas. Nos demais dias, já há muito tempo que a casa abre espaço para outros países: na sexta tem paella, na terça tem um brasileiríssimo picadinho. Mas qualquer que seja a origem, todos os pratos combinam sempre muito bem com o chope schinit. Para os clientes que apreciam, a Urich é um dos últimos bares do Rio a servir o chope com muito colarinho, do jeito que deve ser”, escreveu Juarez Becoza em sua coluna “Pé Sujo”, no jornal O Globo.

A atual administração adquiriu o restaurante em abril de 1992, e sempre se preocupou em manter a tradição.

Essa história começa com o sonho de um imigrante que permanece até então graças a todos os funcionários que por aqui passaram e trabalham atualmente, assim como os clientes que enobrecem o nosso trabalho e reconhecem o valor de se manter viva uma tradição, e nos dão ânimo a prestar um serviço de qualidade combinada à nossa satisfação pessoal para atender a todos desde 1913″, informa a direção da Casa Urich.

Eis a receita do sucesso da Casa Urich: manter a tradição e seguir em frente. Sempre.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui