Foto: Reprodução/Prefeitura de Magé

O município de Magé foi cenário de vários acontecimentos que marcaram, não apenas a região, mas a história do Brasil, como a criação da primeira ferrovia do país. Outro local que merece destaque é o antigo cais do Porto da Piedade, um local de grande importância no período Brasil-Colônia.

Inicialmente, o píer foi usado para o desembarque de escravos e, anos depois, como terminal de passageiros e receptor de mercadorias da Estrada de Ferro Teresópolis.

Até 1831, os escravos que chegavam no porto do Rio de Janeiro eram levados para o Porto da Piedade, no recôncavo da Baía de Guanabara, onde eram desembarcados e depois subiam a serra em direção às fazendas“, explicou o professor Carlos Gabriel Guimarães, do Instituto de História da Universidade Federal Fluminense.

Ele explicou ainda que em 1831, com a lei que proibiu o comércio de escravos, o porto da Piedade passou a ser um local de desembarque ilegal de escravos.

“É um porto importante para a memória da escravidão e dos escravos”, finalizou o professor.

SERGIO CASTRO - A EMPRESA QUE RESOLVE, desde 1949
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

Localizado a 64 km do Rio, o porto foi reformado em 2019 pela prefeitura de Magé e trocou de nome: virou Píer da Piedade. Com seus quiosques, calçadão, instrumentos de ginástica e uma bela vista, o local atrai visitantes, especialmente no fim da tarde, quando é possível assistir um pôr do sol incrível.

Após a reforma, rapidamente o local se tornou um dos points do município, tanto para quem gosta de sentar em um barzinho com os amigos, quanto para quem prefere aproveitar a tranquilidade, admirando a vista.

5 COMENTÁRIOS

  1. Sinto muito em te dizer, Larissa Ventura, que seus comentários a respeito de portos, escravos e estradas de ferro, só contribuiu pra desinformar ainda mais uma nação desgastada, historicamente falando. “Muito triste tudo isso.”

  2. Parte da história não condiz com a realidade. Existem dois portos, o mais antigo conhecido como porto velho, fica do outro lado do morro, lá inclusive tem ruinas do antigo hotel. este novo foi construído para atender a estação ferroviária

  3. A matéria confunde o porto da Piedade com o cais da Estrada de Ferro Teresópolis. São locais diferentes. O cais foi construído pela ferrovia já na República e reformado pela prefeitura.

  4. Interessante a matéria, no entanto ressalto uma questão central, o sentido e significado das palavras, pois as mesmas estão relacionadas em uma cadeia de significantes. Sendo assim segue uma pequena contribuição para reflexão, os africanos de diversas origens que ali desembarcavam não eram escravos, e sim pessoas escravizadas durante o modo de produção escravista no Brasil.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui