Quinta da Boa Vista

Conhecido como o “Bairro Imperial do Rio de Janeiro”, São Cristóvão é uma região de suma importância para a Cidade Maravilhosa. São Cristóvão começou a se destacar em 1810, quando o príncipe-regente Dom João XVI adotou o Paço da Quinta da Boa Vista como residência oficial. Antes disso, a região que virou bairro era extremamente natural, com praias e área verde.

Paço Imperial de São Cristóvão (hoje Museu Nacional)

A chegada da Família Real provocou uma série de transformações no bairro. Entre elas, a instalação de iluminação pública. Após isso, a nobreza mudou-se para São Cristóvão. A famosa Marquesa de Santos foi uma das nobres que foi morar no bairro.

“Muitos foram os acontecimentos marcantes para o país que ocorreram em São Cristóvão. A Família Real morou lá por anos, Dom Pedro I viveu lá e seu filho, Pedro II, governou (de sua residência no bairro) o Brasil por quase 50 anos”, destaca o historiador Maurício Santos.

Igreja de São Cristóvão

A primeira linha de telefone da América do Sul tinha central em São Cristóvão. Isso se deu durante o governo de Dom Pedro II. O imperador inaugurou, também, o Observatório Nacional do Rio de Janeiro, um centro de estudos avançados em astronomia que ainda hoje é um dos principais espaços dedicados à ciência no Brasil.

SERGIO CASTRO - A EMPRESA QUE RESOLVE, desde 1949
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

Já no século XX, São Cristóvão passou a ter uma intensa atividade industrial. Chegou a ser considerado o bairro mais industrializado da América do Sul.

Campo de São Cristóvão, inaugurado em 1906

Mesmo hoje em dia, São Cristóvão segue crescendo e se desenvolvendo. Atualmente é o comércio quem dita o ritmo da economia do bairro. Muitos dos’ antigos casarões do período imperial são utilizados como lojas.

Quinta da Boa Vista, atualmente

5 COMENTÁRIOS

  1. Olá Felipe
    Nasci em São Cristóvão em 1953 na Maternidade José Cristino. Morávamos na Rua General Sampaio, 71 casa 9. Até completar 15 anos eu morava nesse endereço. Meus avós paternos, tios, primos todos nesse mesmo terreno chamavam Curtume. Nesse terreno existiam dois campos de futebol e um casarão. Nunca vi nenhuma foto desses casarões. Se você tiver acesso as fotos poderia me enviar ou fazer postagem na sua página? Ficarei imensamente grata. Atualmente o terreno é ocupado por prédios.

  2. Adorei a matéria. O bairro onde moro, Caju, fazia parte de São Cristovão. Era lá que a família real portuguesa “viajava” de carruagem – passava pela Igrejinha de São Cristovão para rezar (como bons católicos que eram) – até chegar na Praia do Caju. Lá eles tomavam banho de mar, por recomendação médica para benefício da saúde. Curiosidades interessantes: na Praia do Caju foi onde oficialmente surgiu o hábito dos “não nativos” tomar banho de mar. E mais tarde, também é onde temos notícia das primeiras práticas do Vôlei de Praia nas areias da antiga Praia, nos anos de 1950, por membros da Polícia do Exército e remadores do São Cristóvão de Futebol e Regatas.

  3. São Cristóvão, sempre foi tudo de bom,
    Nasci e me criei nesse bairro, e sempre tive satisfação desse bairro.próximo de tudo, centro, zoma sul e a própria Quinta da Boa Vista um imenso quintal,tudo de bom. Ps.por favor salvem o nosso bairro.

  4. – Ainda estou em choque com o incêndio criminoso do Museu, que estou convencido, foi para encobrir o roubo de algo valioso, vai ser imensamente difícil provar tal teoria.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui