Histórica placa do Bar

Um dos bares mais tradicionais da cidade do Rio de Janeiro, o Bip Bip serve doses diárias de cultura e história para quem o frequenta. Fundado no dia 13 de dezembro de 1968, o Bip Bip nasceu no dia em que foi decretado, pela ditadura militar brasileira, o Ato Institucional nº 5. A infeliz coincidência talvez tenha dado ao bar a capacidade de engajamento político.

O nome Bip Bip foi dado no ano que o bar começou as atividades. Os fundadores admiravam os primeiros foguetes russos daquela época, então batizaram o estabelecimento da mesma forma que as criações dos soviéticos.


[iframe width=”100%” height=”90″ src=”https://diariodorio.com/wp-content/uploads/2015/05/superbanner_66anos.swf-3.html”]
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sérgio Castro Imóveis sempre contribuiu para a valorização da cultura carioca

Atual dono do Bip Bip, o famoso Alfredinho, que comprou o ponto em 1984, comenta sobre um dos principais atrativos do bar: a música.

Passaram por aqui alguns dos maiores músicos brasileiros, além de artistas de menos fama, mas, por elegância, não quero citá-los, não quero correr o risco de esquecer ninguém. Além disso, o bar, que foi comprado para ser só ponto de encontro entre amigos, hoje cuida de lançamento de livros, CDs, exposições de arte e projetos sociais. Aqui a garotada discute cultura e política”, diz Alfredinho.

Alfredinho e músicos ao fundo

O bar tem, ainda, um grande compromisso social. Nos anos 1970, em parceria com o sociólogo Betinho, o bar passou a ajudar pessoa de origem mais humilde. Hoje em dia, o trabalho continua. Crianças de Vila Isabel recebem assistência e capacitação profissional, ajuda oriunda de doações de amigos e clientes do Bip Bip.

Uma parte da decoração do Bar

Tanta história e importância cultural/social merecem ser destacadas. Vida longa ao Bip Bip.

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui